Doria diz que vai aguardar 48h por recuo de Bolsonaro sobre vacinas

Governador esteve em Brasília nesta quarta-feira (21), dia em que o presidente Bolsonaro afirmou que "toda e qualquer vacina está descartada"

João Doria, governador de SP, esteve em Brasília nesta quarta-feira (21)

João Doria, governador de SP, esteve em Brasília nesta quarta-feira (21)

Divulgação/ Governo De São Paulo

O governador João Doria afirmou que na noite desta quarta-feira (21) que aguardará por 48 horas um recuo do presidente Jair Bolsonaro sobre a fala dele descartando "toda e qualquer vacina".  

Leia também: "Toda e qualquer vacina está descartada", afirma Bolsonaro

"Se até sexta-feira (23) não houver nenhuma medida de recuo por parte do governo federal para fazer aquilo que deve fazer, apoiar as vacinas, incluive a vacina do Butantan, que é a vacina do Brasil, nós saberemos quais medidas poderão ser adotadas, seja por São Paulo, seja pelos governadores", afirmou Doria.

A fala de Bolsonaro veio um dia após o Ministério da Saúde anunciar a compra de 46 milhões de doses da vacina Coronavac, desenvolvida pela farmacêutica chinesa Sinovac, em teste com voluntários em São Paulo e que será produzida pelo Instituto Butantan. 

Doria lamentou que o ministro Eduardo Pazzuelo tenha sido desautorizado após tornar pública em uma reunião com 24 governadores uma carta assinada por ele em que indica a decisão do Ministério de adquirir as doses. 

"Eu volto primeiro a lamentar que uma vacina como esta , que salva vidas, que protege as pessoas, venha tendo por parte do presidente Bolsonaro um tratamento de ordem política ideológica. (...) "A politização da vacina prejudica as pessoas. Não ajuda a salvar vidas", afirmou o governador.