São Paulo Fórum de Blocos do Carnaval de rua se diz enganado pela Prefeitura de São Paulo

Fórum de Blocos do Carnaval de rua se diz enganado pela Prefeitura de São Paulo

'Esquenta' estava marcado para os dias 16 e 17, mas não há interessados em patrocinar evento. Festa pode não acontecer

  • São Paulo | Do R7, com informações de Luan Leão, da Agência Record*

Fórum de Blocos do Carnaval de rua se diz enganado pela Prefeitura de São Paulo

Fórum de Blocos do Carnaval de rua se diz enganado pela Prefeitura de São Paulo

Divulgação/ Prefeitura de São Paulo

Após a Prefeitura de São Paulo afirmar que a realização do Carnaval na capital nos dias 16 e 17 de julho está condicionada ao patrocínio, o coordenador do Fórum de Blocos, José Cury, revelou que eles se sentiram "enganados" pela administração municipal: "O Carnaval de rua foi renegado pela prefeitura".

O primeiro leilão de licitação aconteceu em 23 de junho, mas não houve interessados. Um novo pregão foi agendado para o dia 7 de julho. Em entrevista, o prefeito Ricardo Nunes (MDB) afirmou, nesta quinta-feira (30), que, se não houver patrocínio privado para custear o evento, "a prefeitura não vai colocar dinheiro público" para bancar os desfiles.

De acordo com a Secretaria Municipal de Cultura, o Esquenta de Carnaval está confirmado, mas ainda necessita de patrocinadores.

"O Fórum está indignado pelo tratamento que o Carnaval de rua tem tido", afirmou Cury ao dizer que a decisão impacta a vida dos blocos de periferia já que, de acordo com ele, esses seriam os que desfilariam neste mês.

Segundo o coordenador do Fórum, os desfiles de blocos de rua na periferia fomentam a economia dos bairros, que ficará prejudicada com a não realização do evento.

José Cury destacou também que, com o cenário atual, é possível que os blocos saiam apenas com recursos próprios. Ele criticou mais uma vez a gestão municipal: "Enrolaram de um jeito que vão conseguir cancelar".

Adiamento

Em janeiro, a prefeitura cancelou a realização do Carnaval de rua devido ao avanço da pandemia de Covid-19 na cidade. As novas datas para a saída dos blocos foram definidas em abril e seriam uma prévia para o evento de 2023.

No feriado de Tiradentes, blocos foram às ruas na capital de forma independente, já que a administração municipal não auxiliou na organização nem disponibilizou infraestrutura.

Segundo a Secretaria de Cultura, inicialmente 296 blocos demonstraram interesse em desfilar nas ruas da capital paulista durante o Esquenta. Após a exclusão por duplicidade de cadastro e solicitações incompletas, o número caiu para 216.

A pasta afirma que os blocos restantes passam por análise da coordenação técnica, considerando o trajeto e horário de cada um.

Pela realização em um período incomum, a secretaria informou que o Esquenta de Carnaval ocorrerá apenas em dois dias, por isso será permitido apenas um desfile por bloco. 

No site da prefeitura, a pasta divulgou o Guia de Regras para os Blocos e o Manual de Comunicação Visual para Patrocinadores de Blocos, além do nome dos blocos interessados em participar da folia.

Com supervisão de Laura Lourenço, da Agência Record

Últimas