São Paulo Funcionários do Metrô ameaçam greve em São Paulo após cortes

Funcionários do Metrô ameaçam greve em São Paulo após cortes

Metroviários preveem o início da paralisação no dia 1º de julho, caso empresa e Doria não abram mão da medida que reduz pagamento e corta benefícios

  • São Paulo | Rodrigo Martinez, da Agência Record

Ao menos 2.505 pessoas votaram na assembleia online nos dias 24 e 25

Ao menos 2.505 pessoas votaram na assembleia online nos dias 24 e 25

WILLIAN MOREIRA/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO

Funcionários do Metrô de São Paulo anunciaram possível greve caso o governador João Doria não retire medidas de redução de salários e cancelamento de direitos da categoria. O anúncio foi feito em rede social, nesta sexta-feira (26).

Leia também: Cinco cidades do interior de São Paulo recuam para fase vermelha

Segundo a organização, os trabalhadores do sindicato aprovaram, com mais de 90% dos votos, a decretação de greve, com possível paralisação no dia 1º de julho. Com participação expressiva dos funcionários, 2.505 pessoas votaram na assembleia online nos dias 24 e 25.

Como outros serviços essenciais, funcionários do Metrô estão trabalhando normalmente durante o período de pandemia do novo coronavírus, menos os funcionários que fazem parte do grupo de risco.

Leia também: SP avança de fase e permite abertura de bares e restaurantes

"Os trabalhadores aprovaram com mais de 90% dos votos a decretação de Estado de Greve, com possível paralisação no dia 1º/7 se a empresa e o governo Doria não retirarem a proposta de corte de salários e retirada de direitos", diz o comunicado na rede social.

Últimas