Jovem é morto pela PM na zona leste de São Paulo

Família afirma que rapaz teria ido, desarmado, à padaria para comprar pão

Familiares protestaram na região

Familiares protestaram na região

Arquivo Pessoal

Familiares do jovem Mateus Ribeiro da Costa, de 16 anos, protestaram na tarde desta terça-feira (10) na avenida Cangaíba, zona leste da capital, após o jovem ter sido morto pela PM (Polícia Militar) na manhã de hoje na região.

Apresentado pela PM como morte em decorrência de oposição à intervenção policial, o caso está sendo investigado pelo DHPP (Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa) e, na versão da polícia, o jovem estava cometendo roubos na região e reagiu à abordagem.

A família da vítima contesta o posicionamento da PM e afirma que o jovem teria saído de casa desarmado para comprar pão em uma padaria da comunidade.

Ainda segundo a família, o jovem, que já foi interno da Fundação Casa, estaria sendo ameaçado e perseguido por um policial identificado como Casagrande.

No domingo, esse policial teria ido à comunidade e anunciado que mataria alguém.

Também segundo os familiares, após a morte de Mateus, os policiais envolvidos na ocorrência teriam alterado a cena do crime, retirando o pacote de pão que o rapaz carregava e colocando uma arma próxima ao corpo dele.

Questionada sobre o caso, a Secretaria de Segurança Pública informou, em nota, que "o caso foi registrado pelo DHPP como resistência e morte decorrente de oposição à Intervenção policial e será investigado pela unidade". 

No comunicado, SSP complementa que "a Polícia Militar, por meio do 51°BPM/M, responsável pelo policiamento na região, acompanha as investigações, como de praxe em ocorrências desse tipo".

* Sob a supervisão de Raphael Hakime.