São Paulo Justiça decide nesta sexta (11) se réus por matar família vão a júri

Justiça decide nesta sexta (11) se réus por matar família vão a júri

Audiência deverá definiar se os 5 acusados pelas mortes brutais de Romuyuki, Flaviana e Juan, em São Bernardo do Campo (SP), irão a júri popular

  • São Paulo | R7, com informações da Agência Record

Romuyuki , Flaviana e Juan foram brutalmente mortos em janeiro de 2020

Romuyuki , Flaviana e Juan foram brutalmente mortos em janeiro de 2020

Reprodução/ Record TV

A Justiça de São Paulo pode encerrar ainda nesta sexta-feira (11) a primeira fase do julgamento dos cinco acusados de matar e queimar os corpos de três integrantes da família Gonçalves, crime ocorrido em São Bernardo do Campo, na Grande São Paulo, em janeiro deste ano.

Leia também: Na caçada por Cupertino, assassino é descrito como ‘calmo’ e ‘gentil’

A audiência judicial foi retomada no início da tarde e a expectativa é que, após o encerramento da primeira etapa do julgamento, será definido se os réus irão a júri popular.

Inicialmente, a oitiva está marcada para ocorrer virtualmente, em decorrência do estado de pandemia da covid-19, mas foi pedido que o depoimento ocorresse presencialmente, já que a testemunha declarou não ter meios próprios para ser ouvida de forma virtual.

Depoimentos anteriores

Na última audiência, em 16 de outubro, duas testemunhas foram ouvidas. Anaflávia Martins Gonçalves, a filha mais velha do casal, a companheira dela, Carina Ramos de Abreu, e os outros três que se tornaram réus por participação na morte da família, estavam presentes por videoconferência. No entanto, os cinco foram retirados da audiência quando uma testemunha protegida foi ouvida. O grupo não chegou a ser interrogado pelo juiz.

Um dos depoimentos foi dispensado pelos advogados de defesa e aceito pelo juiz, já a segunda testemunha será ouvida na tarde desta sexta-feira (11).

Na primeira sessão, realizada no dia 22 de setembro, foram ouvidas cinco testemunhas da acusação e da defesa de Anaflávia, Carina Ramos, e do réu Guilherme Ramos da Silva.

Em crimes dolosos (intencionais), há a possibilidade de o caso ser levado a júri popular. Na primeira fase, conhecida como audiência de instrução, as testemunhas de acusação e defesa são ouvidas, e os réus são interrogados.

O crime

Romuyuki Gonçalves, de 43 anos, Flaviana Gonçalves, de 40 anos, e o filho do casal, Juan Gonçalves, de 15 anos, foram encontrados mortos dentro do porta-malas de um carro em chamas.

O assassinato da família foi descoberto em 28 de janeiro. Ana Flavia Martins Meneses, filha do casal, e Carina Ramos de Abreu, namorada dela, foram presas um dia depois por serem suspeitas do crime.

Últimas