São Paulo Laudo descarta contaminação de marmitas em cozinha de igreja

Laudo descarta contaminação de marmitas em cozinha de igreja

Quentinhas provocaram a morte de dois moradores de rua em Itapevi, na Grande São Paulo, e também a internação de outras duas pessoas

  • São Paulo | Do R7

Marmitas foram envenenadas com chumbinho

Marmitas foram envenenadas com chumbinho

Reprodução/ Record TV

As marmitas que provocaram a morte de dois moradores de rua em Itapevi, na Grande São Paulo, não foram contaminadas na cozinha da igreja em que foram preparadas. Um laudo divulgado nesta terça-feira (4) descarta a possibilidade. 

Leia também: Marmitas envenenadas: um dos moradores de rua mortos teria se envolvido em briga

Vagner Aparecido Gouveia de Oliveira, de 37 anos, e José Araujo Conceição, de 61 anos, morreram no dia 22 de julho após comerem da quentinha. Uma cachorra também morreu. A ingestão da comida provocou também a internção de duas outras vítimas: um garoto de 11 anos, que ainda está no hospital, e uma jovem de 17, que recebeu alta no dia 26 de julho.

De acordo com a Polícia Civil, a contaminação das marmitas aconteceu dentro do posto de gasolina onde os sem teto estavam, momentos depois que as voluntárias realizaram a entrega.

Veja também: Mulher que entregou marmita aos moradores de rua afirma não ter participação nas mortes

A Delegacia de Itapevi continua com as investigações para descobrir o autor do crime, responsável por colocar chumbinho nas quentinhas. Uma das hipóteses é que o crimje tenha ocorrido por vingança

Na semana passada, laudos apontaram "a existência de uma substância chamada Terbufos no alimento das vítimas", de acordo com a Secretaria de Segurança Pública (SSP). O caso é investigado como homicídio e tentativa de homicídio.

Últimas