São Paulo Jovem internada após consumir marmita contaminada recebe alta

Jovem internada após consumir marmita contaminada recebe alta

Fábio Abraão Jorge de Araújo, de 11 anos, que também consumiu uma das marmitas, teve melhora no quadro de saúde e permanece internado

  • São Paulo | Edilson Muniz, da Agência Record

Dois homens morreram após o consumo de marmitas contaminadas

Dois homens morreram após o consumo de marmitas contaminadas

Reprodução/ Record TV

A adolescente Jeniffer Naiara Cardoso Romano, 17, internada na UTI do Hospital Geral de Osasco após consumir uma das marmitas contaminadas que teriam causado as mortes de dois homens em Itapevi (SP), recebeu alta do hospital na noite deste domingo (26) e foi para casa.

Jeniffer já havia recebido alta da UTI na madrugada de sexta-feira (24), mas permaneceu internada no hospital por mais três dias.

Fábio Abraão Jorge de Araújo, de 11 anos, que também consumiu uma das marmitas, teve melhora no quadro de saúde e permanece estável, mas segue internado no Hospital Geral de Pirajussara, segundo seu pai Flávio Araújo. Fábio ainda toma uma medicação preventiva na veia.

Investigações

A Polícia Civil acredita que as marmitas que causaram a morte de dois moradores de rua tenham sido contaminadas após a entrega pelos voluntários. 

As investigações iniciaram com três linhas: na primeira, a marmita teria sido entregue a Vagner já contaminada; na segunda, a marmita teria sido contaminada propositalmente após ter sido entregue a Vagner; na terceira, a comida estaria estragada.

Veja também: Testemunhas depõem sobre suposto envenenamento de marmita

Após ouvir 14 depoimentos, entre familiares, testemunhas e pessoas que estavam no posto no dia da morte, a polícia acredita que Vagner seria o alvo da contaminação, e que as marmitas que ele recebeu foram contaminadas no intervalo de tempo entre a entrega pelos voluntários e o momento em que as vítimas se alimentaram. Para os investigadores, Vagner entregou as marmitas de forma inocente a seus amigos.

O caso

Dois homens em situação de rua morreram após comerem uma marmita que estaria contaminada em um posto abandonado na Avenida Rubens Carmez, em Itapevi, na Grande São Paulo, durante a madrugada de quarta-feira (22). Fábio, de 11 anos, e Jeniffer, de 17, foram internados após terem contato com o alimento.

De acordo com a Prefeitura do município, ainda não se sabe qual a substância que teria causado o envenenamento e tampouco quem entregou as marmitas para as vítimas.

Ainda segundo a Prefeitura, na noite de terça (21), os dois homens em situação de rua, Vagner Aparecido Gouveia de Oliveira, de 37 anos, e José Araujo Conceição, de 61 anos, foram abordados por assistentes sociais, mas não aceitaram ir para o abrigo que fica no Ginásio do Centro de Iniciação ao Esporte (CIE), que recebe pessoas em situações de rua durante a pandemia da covid-19.

Ainda segundo a Delegacia de Itapevi, que registrou o caso, não sabe se o alimento foi entregue no dia anterior. De acordo com o Delegado Aluisio, os moradores de rua da região, por vezes, armazenam as marmitas para comer posteriormente.

Últimas