Menor muda versão e diz que homem de bicicleta matou Raíssa

Apreendido sob suspeita de ter matado a menina de 9 anos, o jovem de 12 anos avalia que Raíssa pode ter sido abusada sexualmente pelo assassino

Menino foi visto caminhando ao lado de Raíssa

Menino foi visto caminhando ao lado de Raíssa

Reprodução/Record TV

O menino de 12 anos apreendido sob suspeita de ter matado a menina Raíssa Eloá Caparelli Dadona, de 9 anos, concedeu um novo depoimento ao Juizado da Infância e da Juventude e mudou novamente a versão apresentada sobre o caso, de que seria o responsável pelo assassinato. A informação foi apresentada pelo Cidade Alerta, da Record TV.

De acordo com o garoto, Raíssa foi morta por um homem de bicicleta com uma tatuagem. Ele ainda revelou que o assassino teria abusado sexualmente da menina de 9 anos, porque o viu colocando a calça.

Mãe de suspeito de matar Raíssa diz que menino não confessou o crime

Conforme o novo depoimento, ao perceber que era acompanhado pelo menor, o assassino teria ainda pedido para ele esperar 10 minutos e depois chamar um segurança.

Na terça-feira (1º), o delegado do DHPP (Departamento de Homicídio e Proteção à Pessoa) responsável pelas investigações, Luiz Eduardo Marturano, disse que o menor havia sido confessado que cometeu o crime.

A versão em questão era contraditória à apresentada horas antes para o delegado — a qual disse que quem matou Raíssa foi um homem apelidado como "Baianinho".

A menina Raíssa foi encontrada morta, presa pelo pescoço em uma árvore e com marcas de agressão no ombro. O crime aconteceu no parque nas proximidades do CEU (Centro Educacional Unificado) Anhanguera, na zona norte de São Paulo, no último domingo (29), logo depois de uma festa no local.