São Paulo "Minha filha está embaixo da terra", diz morador do Guarujá após chuvas

"Minha filha está embaixo da terra", diz morador do Guarujá após chuvas

Cidade litorânea foi um dos municípios mais atingidos pelo temporal, com 19 mortos e 29 desaparecidos. Prefeito decretou calamidade pública

  • São Paulo | Do R7

Jovem de 21 anos morreu grávida soterrada no Morro da Barreira, no Guarujá

Jovem de 21 anos morreu grávida soterrada no Morro da Barreira, no Guarujá

Reprodução Record TV

De uma só vez, 60 barracos do Morro da Barreira, no Guarujá, desabaram após as fortes chuvas que atingiram cidades da Baixada Santista, na terça-feira (3). Em uma delas, dormia seu Antônio, a mulher e os filhos. "Foi uma coisa tão rápida, que eu só escutei o barulho", diz. "Minha filha está aí enterrada, meu genro, tudo", afirma ele ao apontar para o local em que o Corpo de Bombeiros realiza buscas.

Leia mais: Após chuvas, cidades da Baixada Santista decretam calamidade

A cidade do Guarujá é uma das mais atingidas por deslizamentos de terra após as chuvas. Em 24 horas, o município registrou 295 milímetro de água. Para se ter ideia, 100 milímetros é considerado um volume elevado.

De acordo com a Defesa Civil e o Corpo de Bombeiros, as chuvas deixaram até a manhã desta quarta-feira 19 mortes e 29 desaparecidos, nos municípios de Guarujá (15 mortes e 22 desaparecidos). Entre os mortos, está a filha de Antônio, que foi soterrada grávida de três meses.

Leia mais: Mortos por chuvas na Baixada Santista chegam a 19

Os moradores tiveram de deixar suas casas às presas no meio da madrugada da terça-feira. A Defesa Civil afirmou que monitorava a situação, mas não foi possível evitar a tragédia. As vítimas estavam dormindo e foram pegas desprevenidas. 

Outras cidades do litoral sul também foram atingidas. Santos (3 mortes e 5 desaparecidos) e São Vicente (1 morte e 2 desaparecidos). O número de desabrigados é 155 no Guarujá, 6 em São Vicente e 37 em Santos.

Leia mais: Após chuvas, Santos FC disponibiliza estádio para receber doações

As prefeituras de São Vicente e Guarujá, no litoral sul, declararam calamidade pública e Santos, estado de emergência. Os prejuízos fizeram o governador João Doria decretar luto oficial de três dias em todo o estado em memória às vítimas fatais dos desmoronamentos e das inundações. 

"Lamentamos muito o efeito das fortes chuvas que se abateram sobre a Baixada Santista e oferecemos solidariedade às famílias que perderam entes queridos e estão em sofrimento nesse momento”, afirmou Doria nesta terça, em entrevista na Prefeitura de Santos. O decreto será publicado na edição desta quarta-feira (4) do Diário Oficial do Estado.

Últimas