São Paulo Motoristas de ônibus confirmam greve em SP a partir desta terça

Motoristas de ônibus confirmam greve em SP a partir desta terça

Sindicato afirma que fará 'greve com responsabilidade' devido a liminar na Justiça para garantir funcionamento do transporte

  • São Paulo | Gabriel Croquer, do R7, com informações da Record TV

Resumindo a Notícia

  • Greve está marcada a partir da meia-noite desta terça-feira (14)
  • Sindicato afirma que fará "greve com responsabilidade"
  • Liminar na Justiça garante funcionamento de 80% da frota no horário de pico
  • Ainda não há detalhes sobre as linhas que serão atingidas
Motoristas pedem reajuste salarial e participação nos lucros

Motoristas pedem reajuste salarial e participação nos lucros

Edu Garcia/R7 - 7.6.2022

Os motoristas de ônibus decidiram que farão greve na capital paulista a partir da zero hora desta terça-feira (14). O sindicato, no entanto, afirma que não fará uma paralisação generalizada devido à liminar judicial que garante o funcionamento de 80% da frota no horário de pico e 60% fora do horário de pico.

A entidade também ainda não deu detalhes sobre quais linhas serão afetadas. “Nós vamos fazer uma greve com responsabilidade. Estamos aqui estudando a forma”, afirmou ao R7 o presidente em exercício do Sindmotoristas (Sindicato dos Motoristas de Ônibus), Valmir Santana da Paz.

Entre os pedidos dos trabalhadores estão reajuste salarial de 12,47% mais aumento real, fim da hora de almoço não remunerada, participação nos lucros (PLR), fim do desconto no vale-refeição quando os trabalhadores entregam atestado médico e melhorias no plano de saúde.  

A categoria ameaça entrar em greve desde a semana retrasada. O sindicato já havia marcado o protesto para a última segunda-feira (6), mas adiou a paralisação em razão de avanço nas negociações com o sindicato patronal. 

Segundo o Sindmotoristas, o julgamento do díssidio (decisão judicial) relativo à greve e aos salários está agendado para acontecer nesta quarta-feira (15), às 15h. As reuniões entre o sindicato, empresas e prefeitura são acompanhadas pelo TRT (Tribunal Regional do Trabalho). Segundo a Prefeitura de São Paulo, existia o compromisso de que não haverá nenhuma paralisação sem que o TRT seja informado antes. 

Prefeitura

A Prefeitura de São Paulo, por meio da SPTrans, lembrou nesta segunda-feira que obteve decisão liminar na Justiça do Trabalho, no dia 31 de maio, que determinou a manutenção de 80% da frota operando nos horários de pico e 60% nos demais horários, sob pena de multa diária de R$ 50 mil. "A liminar segue válida e a SPTrans espera que ela seja cumprida. A gestora irá monitorar a frota desde o início da operação", afirmou a empresa municipal, em nota.

"A SPTrans continua acompanhando a negociação entre empresários e trabalhadores e espera uma breve resolução entre as partes, para que a população de São Paulo não seja penalizada", concluiu a administração.

Últimas