São Paulo MP recorre de decisão que liberou 40 envolvidos em rinha de cães 

MP recorre de decisão que liberou 40 envolvidos em rinha de cães 

Promotora discordou de decisão da Justiça, afirmando que alguns dos presos em flagrantes já estariam tentando atrapalhar as investigações

Somente o suposto organizador do evento teve a prisão preventiva decretada

Somente o suposto organizador do evento teve a prisão preventiva decretada

Reprodução Instituto Luisa Mell

O MP-SP (Ministério Público de São Paulo) pediu a revogação da liberdade provisória de 40 homens envolvidos em uma rinha de cães, que não tiveram a prisão em flagrante, ocorrida no último sábado (14), convertida em prisão preventiva.

Leia mais: Além de feridos, cães encontrados em rinha em SP eram assados

Em decisão assinada pelo juiz André Luiz da Silva da Cunha, da última segunda-feira (16), somente um dos homens envolvidos na rinha foi preso, acusado de organizar o evento. Quanto aos outros participantes, o juiz argumentou que “nada há a indicar que em liberdade eles (suspeitos) possam colocar em risco a ordem pública, prejudicar o normal desenvolvimento de futura ação penal ou frustrar a aplicação de eventual sanção”. 

A promotora Michelle Bregnoli de Salvo, que entrou com o pedido de suspensão da decisão do juiz, discorda e argumentou que a prisão cautelar seria necessária para as investigações, considerando que alguns dos indiciados já teriam tentado atrapalhar a colheita de provas. 

A promotora ainda considerou as provas encontradas no local, que sugerem associação criminosa dos envolvidos que "não só se conheciam, mas estavam organizados para saírem de diversas localidades do Brasil e de outros países, juntamente com seus cães, para então praticarem o crime de maus-tratos contra 21 animais". 

Os 41 homens encontrados na rinha são acusados da prática dos crimes de associação criminosa, maus tratos aos animais e de contravenção penal de jogo de azar.

O caso

A Polícia Civil do Paraná, em conjunto com o DPPC (Departamento de Polícia de Proteção à Cidadania) de São Paulo, prendeu cerca de 40 pessoas, no último sábado (14), em uma rinha internacional de cães.

O crime ocorria em uma chácara na cidade de Mairiporã, na Grande São Paulo. Entre os detidos, estavam criminosos de diversas nacionalidades e um policial militar. Dois jovens menores de idade foram apreendidos e um homem permanece foragido. 

Leia mais: Polícia acha, em Itu, 33 pitbulls em sítio de preso por rinha de cachorros

Segundo a polícia, as duas crianças que estavam no local tinham 12 e 14 anos. O pai tinha guarda compartilhada dos menores e alegou para mãe que ia para praia. A competição também contava com o apoio de um médico e um veterinário, que medicavam os animais feridos para reabilitá-los para uma próxima luta. No local, também foram apreendidos troféus e camisetas com a listagem das competições.

Veja a situação dos cães resgatados