São Paulo Mulher surta em UBS e quebra equipamentos em Guarulhos

Mulher surta em UBS e quebra equipamentos em Guarulhos

Segundo a prefeitura, mulher queria que a filha passasse imediatamente pelo atendimento psicológico. No vídeo, ela aparece gritando e jogando cadeiras

Surto na UBS

Mulher joga a cadeira nos computadores da recepção e chuta as cadeiras

Mulher joga a cadeira nos computadores da recepção e chuta as cadeiras

Reprodução

Uma mulher de 40 anos surtou e danificou equipamentos da UBS Ponte Alta, na Rua São Paulo, no Jardim Ponte Alta, em Guarulhos, na Grande São Paulo, na manhã de segunda-feira (11). O atendimento teve de ser cancelado para a reorganização da unidade de saúde, que foi reaberta nesta terça-feira (12).

No vídeo gravado por uma funcionária, é possível ver a mulher arremessando cadeiras da recepção em direção aos computadores, chutando bancos, gritando e xingando. "Tô surtando aqui", diz a mulher. Em outro momento, ela reclama que vai chegar atrasada no trabalho e pede para que chamem a polícia.

A Guarda Civil foi acionada para atender a ocorrência. No local, os GCMs ainda encontraram a mulher, que havia quebrado computadores e cadeiras.

Leia mais: Avenida entre SP e Guarulhos volta a alagar após chuvas

Na gravação, a funcionária alerta aos demais usuários que a coleta de material está cancelada porque não há condições de atendimento sem os computadores para registrar a entrada dos pacientes.  

De acordo com a nota enviada pela Secretaria de Saúde, a usuária da UBS danificou duas cadeiras e dois monitores de computador. Segundo funcionários, depois de passar pela triagem, ela queria que a filha passasse diretamente pelo atendimento psicológico, sem seguir os trâmites normais.  Apesar de sair por volta das 7h20, ela teria solicitado um atestado médico por período maior, o que lhe foi negado. Então, ela passou a quebrar os equipamentos e ainda agrediu a gerente da unidade de 43 anos, que ficou levemente ferida e recebeu atendimento médico.

Veja também: Polícia faz operação contra crime organizado em Osasco, em SP

À polícia, a suspeita informou que estava tentando marcar uma consulta para o filho e disse que teria praticado o ato após ter um atestado médico negado. A vítima foi orientada quanto ao prazo de seis meses para representar contra a autora.

O caso foi registrado como dano e lesão corporal no 7º DP de Guarulhos. A unidade funciona normalmente nesta terça.