São Paulo PM humilhado em Alphaville afirma: "não agiria diferente na periferia"

PM humilhado em Alphaville afirma: "não agiria diferente na periferia"

Em entrevista, cabo José Edson Ferreira deu seu depoimento sobre os fatos e contou nunca ter passado por nada parecido

  • São Paulo | Do R7, com informações da Record TV

Cabo José Edson Ferreira trabalha há 19 anos na Polícia Militar de São Paulo

Cabo José Edson Ferreira trabalha há 19 anos na Polícia Militar de São Paulo

Reprodução/Record TV

O cabo José Edson Ferreira, que foi humilhado por um empresário ao atender uma denúncia de violência contra mulher, em um condomínio de luxo de Alphaville, na Grande São Paulo, deu seu depoimento e afirmou que não agiria diferente se o caso tivesse acontecido na periferia. 

Internautas acusaram o cabo de ter se calado durante a ocorrência apenas por estar em um bairro nobre. As pessoas alegaram que haveria diferença no comportamento do PM nesta situação e em ocorrências na periferia. "Estamos preparados para atender seja em periferias, seja em lugares muitos mais sofisticados. Porque crises acontecem independente da classe social", afirmou.

Leia também: Tiros de fuzil aterrorizam Bragança Paulista em roubo a banco. Assista

Em entrevista à Record TV, o PM fez um desabafo e explicou o seu modo de agir duante a ocorrência. "A criança estava extremamente assustada em ver o pai naquela situação, a partir dali eu percebi que não poderia ser mais uma parte da ocorrência gritando, teria que ser o contrário disso", conta José Edson.

O cabo trabalha há 19 anos na Polícia Militar e estava próximo ao endereço da ocorrência quando recebeu o chamado. Segundo José, ao chegarem ao local, ele e sua parceira foram recebidos pela vítima que contou que acionou a polícia depois de ser ameaçada de morte por seu marido. 

Neste momento, o empresário e suposto abusador percebeu a presença da equipe e começou a ofender os policiais. Apesar das ofensas, a dupla manteve a calma. No entanto, sua conduta dividiu opiniões nas redes sociais.

Leia também: PF faz nova operação contra grupos especializados em roubo a banco

Para Álvaro Camilo, secretário executivo da Polícia Militar de São Paulo, a postura dos policiais foi correta. "Eles seguiram exatamente o que se ensina nas escola de formação, proteger o cidadão e entender o momento que ele está passando", afirma o secretário. 

O empresário, que precisou ser levado com reforços para a delegacia, gravou um vídeo, já em liberdade, pedindo desculpas para os agentes da PM. Mesmo assim, o homem responderá por desacato.

O advogado da família disse que o empresário passou por uma cirurgia recente e que houve um curto causado pela combinação de remédios e álcool.

No registro da ocorrência feito na delegacia, consta que o empresário havia bebido o dia inteiro e ofendeu a mulher com xingamentos, além de ameaçá-la.

Assim como 80% das mulheres que sofrem violência doméstica, depois de registrar o boletim de ocorrência, a mulher do empresário desistiu de dar continuidade ao caso à denúncia. 

Últimas