São Paulo PM Juliane teria sido vítima de emboscada em Paraisópolis

PM Juliane teria sido vítima de emboscada em Paraisópolis

De acordo com uma testemunha, a vítima teria sido seduzida por uma mulher que a levou a um bar na comunidade da zona sul de São Paulo

PM Juliane teria sido vítima de emboscada em Paraisópolis, em SP

PM Juliane teria sido vítima de uma emboscada em Paraisópolis

PM Juliane teria sido vítima de uma emboscada em Paraisópolis

Reprodução

A Policial militar Juliane teria sido levada a uma emboscada na comunidade de Paraisópolis, na zona sul de São Paulo, antes de ser encontrada morta no porta-malas de um carro, no último dia 6. A informação chegou por meio de uma testemunha que procurou a RecordTV.

Juliane dos Santos Duarte, de 27 anos, estava desaparecida desde o dia 2 de agosto.

Segundo a RecordTV, uma mulher, conhecida como “ruiva” teria induzido a policial a acompanhá-la até um bar na comunidade, como parte de um plano dos líderes do tráfico na região.

Neste bar, ela teria sido baleada e, em seguida, levada a um cativeiro. Juliane teria passado pelo tribunal do crime. As investigações apontam que, durante quatro dias, ela teria sido julgada e torturada, até que viesse a ordem para executá-la.

Um dos suspeitos de envolvimento no caso, um homem conhecido como “Sem Fronteira”, que está preso, teria participado do julgamento. Ele é apontado como um dos chefes do tráfico na comunidade.

Uma mulher conhecida como "Neguinha" é apontada como outra suspeita de participação no crime. Ela prestou depoimento na última sexta-feira (10) no DHPP (Departamento de Homicídios e de Proteção à Pessoa), mas foi liberada. 

Em entrevista exlusiva ao R7, Fabiane dos Santos Duarte, irmã da vítima, já havia dito que suspeitava que Juliane teria sofrido uma emboscada.

Você tem alguma denúncia? Envie um e-mail para denuncia@r7.com

*Estagiário do R7, sob supervisão de Odair Braz Jr.

    Access log