São Paulo PMs acusados de morte de vendedor em Osasco (SP) são absolvidos

PMs acusados de morte de vendedor em Osasco (SP) são absolvidos

Julgamento dos sete PMs acusados de executar David Nascimento dos Santos, de 23 anos, em Osasco, começou às 14h da sexta-feira (11)

  • São Paulo | Edilson Muniz, da Agência Record

Jovem foi abordado por PMs e colocado numa viatura do 5° Baep em Osasco

Jovem foi abordado por PMs e colocado numa viatura do 5° Baep em Osasco

Reprodução/ Record TV

O Tribunal de Justiça Militar absolveu os sete policiais militares acusados de executar o vendedor ambulante David Nascimento dos Santos, em Osasco, na Grande São Paulo, no dia 24 de abril deste ano. A audiência ocorreu de forma online.

Os PMs foram julgados em audiência que durou cerca de nove horas, entre às 14h00 até às 23h00 desta sexta-feira (11) pelos crimes de falsidade ideológica, fraude processual e formação de grupo para prática de violência, que estão na esfera militar, ou seja, os oficiais utilizaram os recursos da corporação para esconder a execução.

Leia mais: Polícia afasta 12 PMs investigados por morte de jovem ambulante

O Juiz Ronaldo João Roth, da 1ª Auditoria Militar votou pela condenação de 11 anos e 4 meses de reclusão para dois sargentos e 8 anos de reclusão para outros cinco acusados, sendo dois cabos e três soldados.

O voto do juiz não foi seguido pelos quatro oficiais do Conselho, que decidiram absolver os sete policiais dos crimes militares. A decisão cabe recurso do Ministério Público.

Veja também: Familiares protestam por morte de jovem após abordagem da PM em SP

O crime de homicídio contra o jovem ainda está sendo investigado pela Polícia Civil e será julgado pela justiça comum, como foi determinado pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ).

Por meio de nota, a Justiça Militar afirmou que eles respondem por falsidade ideológica, fraude processual e formação de grupo para prática de violência. O Juiz Ronaldo João Roth, da primeira auditoria Militar, presidiu a sessão e votou pela condenação de 11 anos e 4 meses de reclusão  para 2 sargentos e 8 anos de reclusão para outros 5 acusados ( 2 cabos e 3 soldados). 

O voto do juiz não foi seguido pelos 4 oficiais do Conselho que decidiram absolver os 7 policiais. Cabe recurso ainda do Ministério Público na segunda instância do TJM. A sessão no TJM durou 9 horas (das 14 às 23h) O crime de homicídio ainda é investigado pela Polícia Civil e os policiais se acusados serão julgados na Justiça comum pela morte do David.

Últimas