São Paulo Polícia investiga se jovem morta em resort inalou gás acidentalmente

Polícia investiga se jovem morta em resort inalou gás acidentalmente

Gás ficou aberto das 7h às 14h do domingo (6). Investigação quer apurar se Edson Fernandes Lopes tinha ou não intenção de matar a companheira

Técnico em refrigeração pode ter matado mulher de forma acidental

Técnico em refrigeração pode ter matado mulher de forma acidental

Reprodução Facebook

Duas situações diferentes podem ter ocasionado a morte do casal encontrado em um resort da cidade de Olímpia, no interior de São Paulo, no domingo (6). Na primeira, Edson Fernandes Lopes, de 24 anos, pode ter inalado o gás e deixado a mangueira aberta para a mulher Rubia Alves de Oliveira, de 22 anos, inalar de forma intencional. Ao tê-la visto morta, ele teria se suicidado na sequência.

Na segunda, ele teria deixado o gás aberto de forma acidental. Segundo o delegado que investiga o caso, Ricardo Afonso Rodrigues, não havia marcas no corpo da mulher nem indícios explícitos de violência. 

Leia também: Mulher deixa bar acompanhada por desconhecido e acaba morta

As duas linhas de investigação que a polícia apura buscam verificar se Edson teria deixado a magueira do gás aberta de forma acidental ou intencional. No primeiro caso, o crime seria de feminicídio seguido de suicídio.

Edson trabalhava como técnico de refrigeração e, segundo relatos de colegas de trabalho, ele fazia uso do chamado gás freon, conhecido como R22. Por meio de imagens de câmeras, obtidas pela polícia, Edson saiu do resort para buscar o gás em um caminhão estacionado nas proximidades do estabelecimento.

Por volta das 6h da manhã do domingo (6), teria ocorrido uma discussão entre o casal e ela teria ido para o quarto de um colega. Na sequência, o marido foi buscá-la e ambos conversaram e voltaram para o quarto. Na cama, o gás estaria posicionado, segundo a polícia, ao lado de Edson e não no meio do casal. 

Veja mais: Morte de motorista de aplicativo deixa outras mulheres da profissão assustadas

Na segunda hipótese levantada pela polícia, ele teria inalado o gás ao lado dela, sofrido uma parada cardiorespiratória e morrido. "Eles passaram a noite fora, consumindo bebidas alcoólicas, o que pode ter potencializado o efeito do gás", afirma o delegado Ricardo Afonso Rodrigues.

Ele diz ainda que, em conversa com um dos legistas, foi confirmada a presença de gás no organismo dos dois. "Agora, a polícia vai tentar determinar o horário da morte dos dois para descobrir a motivação."

O casal, segundo depoimento de familiares, estaria vivendo uma crise de relacionamento. Segundo o irmão de Edson, ele havia tido um suposto caso extraconjugal e Rubia pedido a separação. Ambos têm um filho de dois anos e trabalhavam como funcionários terceirizados do resort.

O gás, de acordo com o delegado, teria vazado entre 7h e 14h do domingo. Rodrigues afirmou ainda que Edson não fez uso do gás no dia anterior. A polícia aguarda os laudos necroscópicos para saber a quantidade e o tipo de gás presente nos corpos, se havia alguma toxina e se houve agressão sexual. 

    Access log