Polícia procura 3º suspeito de participação em morte de família

Testemunha contou à polícia que viu homem de 1,90m carregando algo pesado até o carro no dia do crime. Filha do casal e esposa estão presas 

Pai, mãe e filho foram enterrados nesta quinta em São Bernardo do Campo

Pai, mãe e filho foram enterrados nesta quinta em São Bernardo do Campo

Reprodução Record TV

Depois da prisão temporária de Ana Flávia Gonçalves, de 24 anos, e da esposa dela, Carina Ramos, de 31 anos, suspeitas de envolvimento na morte do casal Flaviana e Romuyuki Gonçalves e do filho de 15 anos, a polícia procura pelo terceiro suspeito, já identificado, que teria participado dos assassinatos. As informações são da Record TV.   

Uma testemunha, agora protegida pela polícia, revelou que viu um homem junto  de cerca de 1,90 m de altura, junto com as duas suspeitas, na noite do crime, carregando algo pesado para o carro. A investigação quer saber se seriam os corpos das vítimas, já mortas na casa a pauladas na cabeça. 

A polícia vai pedir também a quebra do sigilo telefônico das duas mulheres para analisar a troca de mensagens. Não foi descartado o envolvimento de mais pessoas no crime.

A polícia apura ainda se a mãe de Ana Flávia, morta com a família, teria sido obrigada a dirigir o veículo com os corpos do marido e do filho. Imagens de câmeras de segurança do condomínio mostram a saída do Jeep, que foi encontrado com os três corpos carbonizados horas depois em uma estrada de terra de São Bernardo do Campo.

Leia mais: 'Só quero justiça', diz avó de suspeita de matar família em SP

De acordo com a perícia, litros de água sanitária e manchas de sangue foram encontrados no quarto do adolescente. Também foram localizadas manchas de sangue em peças de roupa da filha mais velha, principal suspeita da morte dos familiares.

O caso

Na primeira visita da polícia à casa onde a família morava em um condomínio de Santo André, os agentes encontraram o imóvel revirado, além de marcas de sangue pelos cômodos. Os investigadores acharam estranho que a residência estivesse nestas condições, uma vez que não havia sinais de arrombamento.

Leia também: Casados há 25 anos, mortos no ABC trocavam elogios na internet

Um laudo preliminar da polícia apontou, antes de terem seus corpos carbonizados, as três vítimas morreram com pauladas na cabeça. Como todos os golpes foram do lado direito, a suspeita é de que o autor seja canhoto.

As suspeitas sobre a filha ganharam força depois de as imagens da câmera de segurança mostrarem que ela e a companheira estavam na casa na noite do crime. Por diversas vezes, elas foram flagradas manobrando os carros da família. 

Em depoimento, a suspeita mencionou um possível envolvimento da família com agiotas, mas a Polícia Civil já tinha como uma das linhas de investigação uma possível briga familiar.

Veja ainda: Imagens revelam contradição em fala de suspeita de matar família

Por contradições no depoimento, foi pedida a prisão temporária da filha e da esposa dela na quarta-feira (29). Os pais, segundo a investigação, não aceitavam o relacionamento da filha com outra mulher. O advogado da suspeita nega o envolvimento da cliente com o crime e disse não ter certeza se há contradições no depoimento da jovem.