São Paulo Prefeitura apura responsabilidade por queda de passarela na Marginal

Prefeitura apura responsabilidade por queda de passarela na Marginal

Estrutura de apoio das obras da Ponte Pirituba-Lapa é executada pelo consórcio EIT / Constran. Duas pessoas ficaram feridas no acidente

Passarela desaba e deixa dois feridos na Marginal Tietê, sentido Castello Branco

Passarela desaba e deixa dois feridos na Marginal Tietê, sentido Castello Branco

WILLIAN MOREIRA/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO

A SIURB (Secretaria Municipal de Infraestrutura Urbana e Obras) da Prefeitura de São Paulo vai abrir, na segunda-feira (18), uma apuração preliminar para investigar a responsabilidade pelo acidente com uma passarela de serviço sobre a Marginal do Tietê, que caiu na noite da quinta-feira (14) e deixou duas pessoas feridas. 

Leia mais: Após quase 10 horas bloqueada, Marginal Tietê é liberada

A passarela era uma estrutura de apoio das obras da Ponte Pirituba-Lapa, que, segundo a administração municipal, estão sendo executadas pelo consórcio formado pelas empresas EIT/Constran.

A prefeitura liberou todas as pistas da Marginal Tietê, no sentido Castelo Branco, às 2 horas da madrugada desta sexta-feira (15). Na noite de quinta-feira, a Marginal ficou totalmente interditada após a queda de uma passarela de obras, após a Ponte Ferroviária Comunidade Húngara.

Leia mais: Uma das pistas da Marginal Tietê é liberada após queda de passarela

A estrutura é utilizada pela empreiteira responsável pela obras da futura ponte de ligação da Avenida Raimundo Pereira de Magalhães, no trecho entre as pontes Ulisses Guimarães, e do Piqueri.

O secretário Municipal de Segurança Urbana, coronel José Roberto Oliveira, esteve no local para coordenar os trabalhos de liberação da Marginal após determinação do prefeito Bruno Covas.