São Paulo Prefeitura de Itapecerica da Serra interdita empresa em que ocorreu desabamento com nove mortes

Prefeitura de Itapecerica da Serra interdita empresa em que ocorreu desabamento com nove mortes

Projeto aprovado pela Cetesb foi alterado, com modificações feitas sem autorização. A finalidade mudou de comercial para industrial

  • São Paulo | Joyce Ribeiro, do R7

Nove pessoas morreram após a queda de uma laje durante evento em empresa na Grande SP

Nove pessoas morreram após a queda de uma laje durante evento em empresa na Grande SP

Divulgação/ Bombeiros de SP

As alterações feitas no galpão da Multiteiner que desabou em Itapecerica da Serra, na região metropolitana de São Paulo, deixando nove mortos e 31 feridos, estavam irregulares. As mudanças foram feitas em desacordo com o projeto inicial aprovado. A última vistoria realizada no imóvel havia sido em 2017. Segundo o secretário de Planejamento e Meio Ambiente, Leonel Novais, a empresa foi agora interditada.

"A empresa foi notificada várias vezes. Solicitamos correção no projeto, com licenças de instalação e de funcionamento. A substituição foi apresentada em 2019. O auditório não estava concluído. A gente exigiu a regulação. Alterou o prédio e a finalidade: de comercial para industrial", afirmou o arquiteto da prefeitura Marcelo Mota.

Segundo o secretário Leonel Novais, um outro proprietário pediu em 2008 a aprovação do projeto à Cetesb (Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo), uma vez que o galpão está em uma área de proteção e recuperação de mananciais. No entanto, o espaço foi negociado com a Multiteiner, que fez as alterações posteriores.

Assim, a empresa ainda não havia concluído a fase de regularização com a Cetesb. "A empresa executou a obra totalmente fora do padrão e recomendações da Cetesb, do que havia sido aprovado. As adequações foram feitas por conta e risco do proprietário", ressaltou o secretário.  

O prefeito Francisco Nakano (DEM), que é médico socorrista, recebeu uma ligação sobre a tragédia e foi ao local. "Fiz atendimento como médico naquela hora. Observei a situação local. Fizemos de tudo para salvar todas as vidas que ali estavam. Não cabe a nós discriminar as pessoas. Foi muito estressante aquele atendimento todo", revelou, em entrevista coletiva nesta quarta-feira (21).

Nakano lamentou a tragédia e garantiu que a perícia criminal e a Polícia Civil estão apurando o caso. O prefeito agradeceu o empenho e mobilização das cidades da região metropolitana que ajudaram durante o resgate das vítimas. Foi decretado luto oficial de três dias no município.

Investigação

A prefeitura solicitou à Multiteiner toda a documentação necessária, que será repassada à Secretaria de Negócios Jurídicos. Os funcionários da empresa tiveram acesso ao escritório, acompanhados da Defesa Civil. 

Um engenheiro da Defesa Civil ainda está no local avaliando o imóvel. Segundo informações preliminares, uma parte da estrutura cedeu totalmente e a outra ficou dependurada (nas quais estavam as cadeiras do auditório). 

Algumas questões ainda precisam ser esclarecidas, como quem autorizou o evento e o número exato de participantes. De acordo com o secretário de Planejamento, faltou também alvará da prefeitura para a realização da confraternização.

"Era uma laje montada em um auditório de treinamento. Quem autorizou o evento? Quem organizou e não atentou às questões de segurança no local? É preciso que entre com requerimento na prefeitura para isso, o que não aconteceu em nenhum momento", destacou Leonel Novais.

A prefeitura também oficiou a Cetesb, em busca de respostas sobre a situação do imóvel e as pendências de regularização no projeto.    

O caso

A queda da laje deixou nove mortos, de acordo com informações do Corpo de Bombeiros, e outras 31 pessoas foram resgatadas com vida.

A Multiteiner, localizada na estrada Ferreira Guedes, abrigava naquele momento um evento para cerca de 70 pessoas. Uma arquibancada montada no mezanino recebeu os visitantes e acabou desabando com o restante da estrutura, quando o encontro já estava prestes a terminar, antes das 9h de terça-feira (20).

Entre os participantes estavam os candidatos a deputado estadual Jones Donizette, do Solidariedade, e deputada federal Ely Santos, do Republicanos. Eles tiveram ferimentos leves.

Parte das vítimas ficou presa nos escombros e foi resgatada pelos bombeiros. Quase 80 homens, em 20 viaturas, participaram do resgate, com o auxílio do Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Emergência). 

Últimas