São Paulo 'Pura maldade', diz mãe de jogador do Corinthians morto por parentes

'Pura maldade', diz mãe de jogador do Corinthians morto por parentes

Atleta de futebol para amputados foi morto após uma possível briga por causa de herança da família, na zona leste de São Paulo

Atleta do Corinthians foi morto em SP

Atleta do Corinthians foi morto em SP

Reprodução/Record TV

O jogador de futebol para amputados do Corinthians, Israel, de 37 anos, foi morto após possivelmente ser espancado e esfaqueado pelo marido da tia e um primo, na zona leste de São Paulo, na noite do último domingo (29). Para a mãe do atleta, dona Jurema, o crime que tirou a vida de seu filho foi "pura maldade".

Ela conversou com a reportagem do Cidade Alerta, da Record TV, durante o velório do filho. "Os dois [primos] sempre discutiam, mas esse marido da tia deles foi lá se meter e foi para cima do Israel. O Welington [primo] tirou a muleta dele, que era a única forma que ele tinha para se apoiar, e desferiram uma paulada na cabeça dele, depois colocaram uma faca no peito dele", diz a mãe.

Depois do crime, Wellington, que é o primo do atleta e que iniciou a briga, fugiu, e a família acredita que ele esteja em um matagal na região. Já o marido da tia da vítima, identificado como Francisco, se apresentou na delegacia, disse que participou da briga, e ficou preso por homicídio.

O caso

Segundo informações da Record TV, recentemente, Israel teria chamado seu primo Wellington, que era morador de rua, para ficar em sua casa, devido às noites de frio intenso. O primo, no entanto, passou a discutir com Israel, alegando que era da família e devia ter parte na casa por ser herança.

Câmeras de segurança registraram o momento em que Israel e Wellington discutem na rua e o jogador é agredido com um pedaço de pau.  Israel é quem aparece de muletass, porque teve a perna amputada após um acidente de moto.

Fora do ângulo de visão das câmeras, em um beco, Wellington e o marido da tia agridem Israel.

Histórico do suspeito

Vizinhos de Israel afirmam que o marido da tia do atleta, preso sob suspeita de cometer o homicídio, trabalha como segurança em um posto de combustível na região, na zona leste de São Paulo, e tinha o costuma de ameaçar pessoas com uma faca.

Segundo uma testemunha, devido ao trabalho dele, era comum se envolver em brigas na região, e sempre ameaçava os envolvidos em confusão. Na noite que Israel foi morto, ele teria sido chamado para apartar a briga entre o atleta e o primo. As informações são do Cidade Alerta, da Record TV.

Após o crime, Francisco foi para a delegacia, e teria confessado que entrou na briga entre o jogador e o primo, e teria agredido o atleta com pedaço de madeira. Ele, no entanto, negou o uso da faca, e alegou que se defendeu da vítima que atacava com a muleta.

O primo de Israel, identificado como Wellington, que teria iniciado a briga com o jogador por causa de uma herança da família, fugiu depois do crime. A família acredita que ele esteja em uma região de mata próximo do local. A polícia tenta localizar o suspeito, e pediu para Justiça a prisão dele.

Últimas