São Paulo São Bernardo do Campo decreta calamidade pública após inundação

São Bernardo do Campo decreta calamidade pública após inundação

Administração municipal anunciou também um pacote com 14 medidas para recuperação dos danos e ajuda às famílias atingidas

ANDERSON GORES/AGÊNCIA F8/ESTADÃO CONTEÚDO - 11.3.2019

A prefeitura de São Bernardo do Campo, na região do ABC Paulista, decretou hoje (11) situação de calamidade pública no município em razão das fortes chuvas e alagamentos que atingiram a cidade desde a noite de ontem (10). A administração municipal anunciou também um pacote com 14 medidas para recuperação dos danos e ajuda às famílias atingidas.

Leia mais: "Passei por 20 enchentes, mas essa foi a pior", diz sobrevivente

Dentre as ações previstas, a prefeitura irá disponibilizar alojamentos para as famílias desabrigadas: 70 vagas no abrigo da Secretaria de Assistência Social e 100 vagas em hotéis da cidade. As residências interditadas serão isentadas do IPTU de 2019. Já as famílias que perderam a casa serão incluídas no programa de Bolsa Aluguel da Secretaria de Habitação e nos programas habitacionais da cidade.

Veja também: Temperatura alta no mar associada a frente fria levou a chuvas intensas

A administração municipal informou ainda que irá fornecer, por 15 dias, vale-refeição e vale-transporte para as famílias atingidas. Também será garantido uso gratuito da água fornecida pela concessionária por 30 dias, como forma de ajudar na limpeza das casas e entornos.

Segundo a Defesa Civil Estadual, entre as 18h de ontem e as 9h de hoje foram registrados 177 milímetros (mm) de precipitação na cidade, muito acima do previsto (7mm). As áreas mais afetadas foram os bairros Parque dos Pássaros (121,8 mm), Paulicéia (114,9 mm), Jardim Silvina (75,6 mm), Centro (109 mm) e Rudge Ramos (123 mm).

A Defesa Civil registrou cerca de 61 ocorrências relacionadas a alagamentos nos bairros Vila São Pedro, Vila São José, Ferrazópolis, Montanhão, Irajá, Nova Baeta, Cooperativa, Santo Inácio, Vila Esperança, Jardim Laura, Assunção e Riacho Grande. Não houve vítimas.