São Paulo SP: Beco do Batman é pintado de preto após PM matar artista

SP: Beco do Batman é pintado de preto após PM matar artista

Wellington Copido Benfari, de 40 anos, conhecido como Nego Vila, foi assassinado após uma briga de bar com o policial na Vila Madalena 

  • São Paulo | Rodrigo Martinez, da Agência Record

Beco do Batman, recoberto por grafites coloridos, na zona oeste de SP, amanheceu pintado de preto

Beco do Batman, recoberto por grafites coloridos, na zona oeste de SP, amanheceu pintado de preto

VINCENT BOSSON / FOTOARENA / ESTADÃO CONTEÚDO - 30.11.2020

O Beco do Batman, ponto turístico da zona oeste de São Paulo que é referência mundial do grafite, foi pintado de preto em protesto contra a morte do artista plástico e produtor Wellington Copido Benfari, de 40 anos, conhecido como Nego Vila. O local reunia mais de 100 obras de diferentes artistas em exposição a céu aberto.

Leia também: Negros são 79% das vítimas de mortes causadas por ações policiais

O artista foi assassinado em um bar na região da Vila Madalena no sábado (28). O policial militar Ernest Decco Granaro, de 34 anos, foi preso em flagrante e levado ao presídio militar Romão Gomes. Um IPM (Inquérito Policial Militar) foi instaurado para apurar o caso. O caso também é investigado pelo 14º DP (Pinheiros), onde foi registrado. 


Nego Vila levou um tiro na axila durante uma discussão com o PM, que estava de folga, no bar Roya, na rua Deputado Lacerda Franco. O policial discutia com outro homem, quando o artista entrou na briga.

Veja também: SP: contra racismo, negros querem punição e brancos, debate na escola

Após agressões físicas, o PM sacou uma pistola e atirou para o alto. Houve correria e o artista plástico caiu no chão, momento em que foi baleado. O policial se aproximou e estava pronto para fazer outro disparo, quando uma amiga se jogou sobre o corpo do artista e implorou para que o agressor não voltasse a atirar. 

O corpo da vítima foi sepultado no domingo (29.) O Local Studio, coletivo responsável pela zeladoria do Beco do Batman, e artistas independentes da cidade se manifestaram na madrugada segunda (30) com a intervenção, que classificaram como uma "nota de repúdio pública".

Últimas