São Paulo SP: sindicato de delegados aponta déficit recorde de policiais civis

SP: sindicato de delegados aponta déficit recorde de policiais civis

Atualmente, dos 41.912 cargos previstos para a Polícia Civil, somente 25.911 estão ocupados, segundo o Sindpesp

  • São Paulo | Do R7

Operação da Polícia Civil em São Paulo

Operação da Polícia Civil em São Paulo

Reprodução / Record TV

O Sindpesp (Sindicato dos Delegados de Polícia do Estado de São Paulo) informa que o déficit de policiais civis em São Paulo bateu um recorde histórico e, pela primeira vez, superou 16 mil cargos vagos. A marca foi atingida no dia 1º de outubro, quando o Diário Oficial do Estado publicou a aposentadoria de 45 policiais.

Segundo o sindicato, atualmente, dos 41.912 cargos previstos para a Polícia Civil, somente 25.911 estão ocupados. Isso representa um déficit de 38,2%.

“As aposentadorias e pedidos de exoneração são diários na Polícia Civil, e o governo do estado não promove a nomeação dos aprovados em concursos para reposição desses cargos vagos”, explica a delegada Raquel Gallinati, presidente do sindicato.

O Sindicato dos Delegados avalia que é impossível para qualquer organização manter a qualidade de atendimento com uma falta de recursos humanos que beira 40% e ressalta que existem candidatos aprovados em concursos para a Polícia Civil aguardando a nomeação por parte do Estado.

“Todo o trabalho de polícia judiciária fica extremamente prejudicado, refletindo nos índices de investigação e elucidação de crimes. Quando um cidadão busca auxílio de uma delegacia para registrar um crime e o atendimento é demorado ou insatisfatório é porque o policial que está lá precisa cumprir a função de 3 ou 4 colegas”, explica a delegada Raquel Gallinati.

Em janeiro de 2019, o déficit era de 13.479 policiais, o que representava 32% do total. Em 45 meses, a Polícia Civil perdeu 2.522 policiais, de acordo com o levantamento feito pelo Sindpesp.

O sindicato informa ainda que a Polícia Civil convive com a falta de investimentos, delegacias deterioradas e equipamentos defasados, além dos salários dos policiais, que estão entre os piores do Brasil, apesar de São Paulo ser o estado mais rico da federação.

Governo

Segundo a Secretaria da Segurança Pública, o governo do Estado "investe continuamente na valorização, ampliação e recomposição do efetivo policial". Em 9 de agosto, foi publicada no Diário Oficial a autorização para contratação de 3.500 policiais civis e técnico-científicos — sendo 1.333 escrivães, 1.250 investigadores, 552 delegados, 249 peritos criminais e 116 médicos-legistas.

Paralelamente a isso, desde o início da atual gestão, 14,4 mil policiais foram contratados, sendo 2.574 policiais civis, e estão atuando em todo o Estado. Outros 1.300 estão nas academias de polícia, passando por curso de formação. Além disso, estão em andamento concursos para a contratação de 2.750 novos policiais civis, entre delegados, investigadores e escrivães, segundo a nota.

Últimas