São Paulo SP tem a maior queda de acidentes fatais com pedestres desde 2015

SP tem a maior queda de acidentes fatais com pedestres desde 2015

Relatório do Infosiga-SP, do governo estadual, revela que no período da quarentena casos diminuíram em todos os meios de transporte

  • São Paulo | Do R7

Antes da quarentena, pedestres só não morriam mais do que os motociclistas

Antes da quarentena, pedestres só não morriam mais do que os motociclistas

Futura Press/Folhapress

A quarentena no estado de São Paulo reduziu o número de pedestres vítimas de acidentes de trânsito ao menor índice no acumulado do ano até julho desde 2015, início da série histórica do relatório do Infosiga-SP, do governo estadual.

Entre janeiro e julho deste ano, houve 657 mortes, uma queda de 18,5% em relação a 2019. Na comparação com o mesmo período de 2015, a redução chega a 36,8%. São 382 mortes a menos.

Considerando apenas o mês de julho, foram registradas 92 mortes, contra 128 no mesmo período do ano passado. Uma queda de 28,1%.

Os números refletem a redução de 27% das mortes entre idosos. De janeiro a julho deste ano, uma em cada três vítimas de atropelamento tinha mais de 60 anos, segundo o levantamento.

Leia mais: Acidentes de trânsito matam mais que crimes violentos em 10 Estados

Motos, carros e bicicletas

Durante a quarentena, os motociclistas continuam a ser os que mais morrem. Foram 139 mortes no mês de julho deste ano, mesmo número registrado no mesmo período do ano passado. 

O número de mortes de ocupantes de automóveis diminuiu. O total, porém, superou os óbitos de pedestres e passou ao segundo lugar na lista de vítimas fatais, logo atrás dos motociclistas. Houve 108 mortes de ocupantes de automóveis em 2020, contra 142 em julho de 2019. 

Entre os ciclistas, as fatalidades recuaram 12,8%. Foram 34 casos em julho de 2020, contra 39 no mesmo período do ano anterior. 

Estatísticas gerais

Em julho, foram registradas 402 mortes em vias urbanas e rodovias no estado de São Paulo. Houve queda de 16,6% em relação o mesmo período de 2019, quando foram registradas 482 ocorrências.

No acumulado do ano até julho, a redução é de 11,4% no total de vítimas fatais. Foram 2.726 em 2020, contra 3.078 em 2019.

Acidentes com vítimas tiveram redução de 6% em julho (14,1 mil ocorrências contra 15,1 mil).  

No estado, 12 das 16 regiões administrativas tiveram menos mortes na comparação entre julho deste ano para julho do ano passado. A cidade de Marília registrou a maior queda, passando de 28 mortes em julho de 2019 para 8 neste ano. A queda é de 71%. Na região de Franca, no entanto, o número de mortes triplicou. O número passou de oito para 24.

Na região metropolitana de São Paulo, a redução foi de 20%. Na capital, a queda foi de 32%. Foram 48 fatalidades em 2020 contra 71 em 2019.

Acidentes fatais em vias municipais caíram 10,9% em julho. Nas rodovias que cortam o Estado, a queda foi ainda mais expressiva, de 22,1%.

As ocorrências concentram-se no período noturno (55,5%) e nos finais de semana (45,8%). A maior parte das vítimas é homem (87,3%) e condutor do veículo (61,7%), enquanto as colisões entre veículos foram o principal tipo de acidente (38,6%).

Últimas