Suspeitos invadem sistema que mostra deslocamento da PM em SP

Homem teria dito à polícia que soldado da PM passou senha para que ele vendesse informações ao crime organizado. PM considerou caso grave

Sistema da PM que mostra deslocamentos é invadido

Sistema da PM que mostra deslocamentos é invadido

Divulgação

A polícia militar prendeu um homem e apreendeu um adolescente que tiveram acesso ao sistema que mostra o deslocamento de todas as viaturas da Polícia Militar de São Paulo em tempo real.

Os dados estavam no celular de adolescente que foi abordado por policiais da 2ª Companhia do 49º Batalhão da Polícia Militar, no bairro do Piqueri, na zona norte.

Leia mais: Preso homem que invadiu delegacia de SP e furtou distintivos de policiais

No celular do adolescente havia vídeos da tela do Copom (Centro de Operações da Polícia Militar) de acesso exclusivo aos policiais militares e oficiais.

Acessando o sistema, os suspeitos poderiam acompanhar em tempo real o deslocamento das viaturas da PM em todo o estado de São Paulo, além de fotos e informações pessoais dos policiais militares.

O adolescente informou aos policiais o endereço do um suspeito que também tinha acesso ao sistema do Copom. O homem foi preso em casa, n bairro do Piqueri, na zona norte da cidade.

Leia mais: Sindicato dos delegados denuncia sucateamento da Polícia Civil de SP

Ele disse aos policiais que conheceu um soldado da PM que lhe passou a senha pessoal para que ele pudesse ter acesso ao sistema do Copom e vender as informações ao crime organizado.

Ambos foram levados para 87º DP e a Polícia Judiciária Militar abriu investigação para apurar como a senha do Copom online, pertencente a um policial militar foi parar nas mãos de um suspeito.

Leia mais: Mais de 25% das delegacias não têm controle de armas, diz relatório

Por meio de nota, a Polícia Militar do Estado de São Paulo considerou o caso grave e informou que vai apurar o vazamento de informações sigilosas. A corporação também adotará medidas para proteger os policiais que tiveram as fotos acessadas pelos suspeitos.