TJ-SP avalia denúncia de empresário que humilhou PMs, em Alphaville

MP acusa Ivan Storel, de 49 anos, por desacato, após o empresário xingar a equipe que atendia ocorência de violência doméstica em sua casa

Ivan Storel foi encaminhado à delegacia e denunciado pelo MP por desacato

Ivan Storel foi encaminhado à delegacia e denunciado pelo MP por desacato

Reprodução

O Tribunal de Justiça de São Paulo deve apreciar nesta quarta-feira (10) a denúncia feita pelo Ministério Público de Santana de Parnaíba, na Grande São Paulo, contra o empresário Ivan Storel, de 49 anos, acusado de desacatar policiais militares durante uma ocorrência de violência doméstica em Alphaville, um condomínio de luxo situado no município vizinho de Barueri.

Leia também: PM humilhado em Alphaville afirma: "não agiria diferente na periferia"

Na peça inicial, protocolada no dia 4 de junho, a promotora de justiça Renata Caetano Pereira da Silva Fuga oferece denúncia com base "nos artigos 331, por duas vezes (em continuidade delitiva), e 329, 'caput', na forma do artigo 69, todos do Código Penal", e propõe a suspensão condicional do processo, pelo período de dois, anos, mediante o cumprimento das seguintes condições:

- Comparecimento mensal em juízo por dois anos;

- Proibição de, sem prévia autorização judicial, alterar endereço e se ausentar da comarca por mais de 15 dias;

- Proibição de frequentar bares, boates e demais locais em que haja consumo de bebida alcóolica;

- Obrigatoriedade de comparecer, juntamente com sua esposa, ao NUPAV (Núcleo de Prevenção de Acidentes e Violências) de Santana de Parnaíba, e de se submeter a eventual tratamento determinado pelo setor psicológico, haja vista o contexto de violência doméstica que antecedeu os fatos imputados e o documento anexo;

- Pagamento de prestação pecuniária consistente no valor de R$ 100.000,00 por ter o denunciado declarado a renda mensal de R$ 300.000,00.

O caso

No dia 30 de maio, o empresário proferiu diversos palavrões e ameaçou acionar políticos da região e o próprio secretário da SSP-SP (Secretaria da Segurança Pública de São Paulo) caso a equipe da PM entrasse em sua residência. 

"Não pisa na minha calçada. Não pisa na minha rua. Eu vou te chutar na cara, filho da... Eu vou te chutar na cara. Não pisa na minha calçada. Você é um lixo, seu merda", gritou Storel, enquanto era observado à distância pelos policiais militares.

Posteriormente, o empresário - que precisou ser levado para a delegacia com o uso de reforços para a delegacia -, gravou um vídeo no qual se desculpava pelas ofensas e justificava a atitude agressiva por estar sob efeito de álcool e remédios.