Saúde Entenda a psoríase, doença de pele que afeta rosto de Kim Kardashian

Entenda a psoríase, doença de pele que afeta rosto de Kim Kardashian

Socialite norte-americana de 38 anos recebeu crítica por 'pele ruim' antes de evento de beleza; doença autoimune e não contagiosa interfere na autoestima

Kim Kardashian recebe crítica por 'pele ruim' e diz que tem psoríase

Kim Kardashian mostra seu rosto durante uma manifestação da psoríase

Kim Kardashian mostra seu rosto durante uma manifestação da psoríase

Reprodução Instagram

Ao ser criticada por apresentar "pele ruim" antes de um evento de beleza, a socialiate Kim Kardashian, 38, desabafou nas redes sociais: "É psoríase em todo o meu rosto".

Essa foi a segunda vez que ela falou publicamente sobre o assunto. A primeira foi em dezembro de 2018, quando revelou nas redes sociais que teria que começar a tomar remédio por causa da doença: "Nunca tinha visto desse jeito e mal consigo cobrir a esse ponto. Tomou todo meu corpo. Alguém tentou alguma medicação para psoríase? Preciso de ajuda o quanto antes!", escreveu.

Leia também: Mãe e filho são retirados de voo por erupções na pele não-contagiosas

As primeiras lesões teriam surgido nas pernas, há oito anos.

A psoríase é uma doença de pele crônica, não contagiosa, que afeta 3% da população mundial.

A incidência é a mesma entre homens e mulheres e costuma se manifestar a partir dos 15 anos. O principal fator de risco é o histórico familiar. Cerca de 40% das pessoas que desenvolvem a psoríase têm casos na família, segundo a Sociedade Brasileira de Dermatologia.

'É psoríase em todo o meu rosto', explicou Kim Kardashian ao ser criticada por 'pele ruim'

'É psoríase em todo o meu rosto', explicou Kim Kardashian ao ser criticada por 'pele ruim'

Reprodução Twitter

A causa da doença ainda é desconhecida, mas acredita-se que seja resultado da combinação da atuação do sistema imunológico, do ambiente e da genética.

Ela se desenvolve quando os linfócitos T, células responsáveis pela defesa do organismo, liberam substâncias inflamatórias, dilatando os vasos sanguíneos da pele e permitindo a infiltração de neutrófilos, as células de defesa.

Como as células da pele são atacadas pelo próprio organismo, sua produção cresce, evoluindo rapidamente.

Esse crescimento acelerado provoca a escamação. A impossibilidade de eliminação das células mortas resulta em manchas espessas e escamosas.

Doença afeta a autoestima

A psoríase afeta a autoestima, podendo levar ao isolamento. Bases corretivas podem ser utilizadas quando as feridas não estiverem inflamadas, segudo a SBD. Entretanto, a maquiagem não impedirá coceira e dores.

As principais características da psoríoase são coceira e descamação. Muitas vezes a doença é confundida com outros problemas de pele, como micose e alergia, pois ambas podem causar coceira e vermelhidão.

Leia também: Esofagite eosinofílica, uma alergia confundida com trauma psicológico

A doença se manifesta em qualquer parte do corpo por meio de placas de poucos centímetros ou até atingindo toda a pele. Os locais mais comuns são joelhos, cotovelos e couro cabeludo.

Estresse piora o quadro da psoríase

A psoríase tem diferentes graus de intensidade classificados pelo tamanho, vermelhidão e inchaço. A condição pode ser agravada no inverno, pois o frio provoca o ressecamento da pele.

Outros fatores que pioraram o quadro são o estresse, que leva à diminuição da imunidade, a obesidade, que aumenta o risco de desenvolver a psoríase invertida, e o tabagismo, que agrava seus sintomas.

Se a doença não for diagnosticada corretamente, o quadro pode piorar e gerar até a destruição das articulações. A inflamação ainda libera substâncias que prejudicam o coração. Por essas razões, é recomendado que o paciente tenha acompanhamento dermatológico, cardiológico e reumatológico.

Leia também: Micose é frequente em clima quente e úmido. Saiba como se prevenir

Cerca de 80% dos casos são leves e moderados, segundo o Ministério da Saúde, e podem ser controlados com medicação local, hidratação da pele e exposição ao sol.

O Ministério ressalta que o tratamento deve ser feito sob rigorosa orientação médica, de forma persistente.

Câncer de pele indica predisposição a outros tumores? Saiba mais: