NeoQuímica N Motivos É primavera! Descubra como as mudanças climáticas afetam o sistema imunológico

É primavera! Descubra como as mudanças climáticas afetam o sistema imunológico

Veja como evitar problemas como alergias e outras doenças sazonais, que surgem na passagem entre as estações

  • NeoQuímica N Motivos | Cleide Oliveira, de R7 Conteúdo e Marca

Com a chegada da Primavera, é importante prestar atenção às reações do sistema imunológico, que fica mais propenso a alergias

Com a chegada da Primavera, é importante prestar atenção às reações do sistema imunológico, que fica mais propenso a alergias

Cenczi/Pixabay

Mudanças climáticas são sempre complexas quando relacionadas à saúde e bem-estar. A mais recente preocupação no mundo científico é a brusca alteração das temperaturas, o que causa um impacto ainda maior não apenas no meio ambiente, mas também no organismo das pessoas. Essa é a conclusão do estudo recém-publicado na revista Proceedings of the National Academy of Sciences (Procedimentos da Academia Nacional de Ciências): a piora no diagnóstico de alergias é uma realidade.

A descoberta feita pelos pesquisadores indica uma ligação entre o aquecimento global e o aumento da polinização durante a primavera. Um motivo a mais para preocupação entre os alérgicos. Segundo os estudiosos, a responsabilidade é da combinação entre o ar aquecido e os altos níveis de dióxido de carbono presentes na atmosfera, provocando um aumento de 21% nas partículas de pólen existentes no ar.

Alergias afetam as vias aéreas e, em geral, são heranças genéticas. Porém, há muitos casos que têm relação direta com as diferenças de temperatura e mudanças climáticas ou da atmosfera. Mas por que a primavera é uma estação que provoca aumento nas incidências de alergias, embora seja uma época de clima mais ameno e ensolarado? As flores possuem pólen, que é pequeno, leve, produzido em grandes quantidades, sendo carregado pelo vento para a fecundação aleatória. Nem todos os polens têm potencial alergênico, mas as gramíneas, incluindo-se o capim, encontradas em todas as regiões do Brasil, são a principal causa de alergia polínica no País.

Prevenção e cuidados
Para evitar os desconfortos causados pelas reações alérgicas, é recomendado observar as mudanças do ambiente externo e as reações do organismo diante delas. Os sintomas mais comuns são coriza, tosse, espirros e coceiras, mas caso evoluam, devem ser acompanhados por um médico específica. O que torna o corpo mais vulnerável são alguns componentes genéticos presentes em plantas, pelos de animais, mas também em ambientes com algum grau de contaminação por sujeira, fungos ou bactérias. Entre os principais causadores de alergias, estão:

• Pólen;
• Poeira;
• Fumaça;
• Pelos e penas;
• Fungos, ácaros e bactérias;
• Odores fortes.

Alguns cuidados caseiros, no entanto, podem evitar maiores desconfortos como a piora da rinite até o aparecimento da sinusite alérgica. Manter o ambiente limpo e arejado, eliminar tapetes e cortinas de tecido, ventilar os cômodos sempre que possível, além de utilizar soro fisiológico para lavagem dos olhos e das narinas são algumas das principais boas práticas. É recomendado fazer visitas regulares ao médico especialista e realização de check-ups anuais. No caso de suspeita de quadro de alergias, o seu médico poderá lhe orientar sobre a necessidade de realização de exames laboratoriais mais específicos.

Neo Química N Motivos. Sua saúde é nossa vocação

Publicidade:

Divulgação/Neo Química

Referências consultadas:
Climate Change Lengthening Pollen Season in U.S., Study Shows. Achoo! Internet. Acesso em outubro de 2021.

Primavera traz com ela a alergia ao pólen, e a região Sul é a mais atingida. Associação Brasileira de Alergia e Imunologia (ASBAI) [Internet]. Acesso em outubro de 2021.

Alergias respiratórias e mudanças de temperatura: qual é a relação? Omron Brasil. Internet.  Acesso em outubro de 2021.

Você sabe como deve ser o quarto de uma pessoa alérgica? Associação Brasileira de Alergia e Imunologia (ASBAI) [Internet]. Acesso em outubro de 2021.

Últimas