Cresce abuso sexual infantil na web durante quarentena, diz Europol

Aumento das atividades de pedofilia foi relatado pelas autoridades policiais nacionais dos 27 países da União Europeia, segundo diretora da Europol

Diretora da Europol alerta para aumento de casos de abuso infantil durante quarentena

Diretora da Europol alerta para aumento de casos de abuso infantil durante quarentena

Reprodução

O abuso sexual online de crianças na União Europeia aumentou durante a pandemia de Covid-19, disse a chefe da agência Europol nesta segunda-feira (18), Ela alerta que mais casos poderão surgir quando as escolas reabrirem e o monitoramento dos professores for retomado.

"O mais preocupante é o aumento da atividade online de quem busca material sobre abuso sexual infantil", disse Catherine De Bolle, diretora da Europol, em audiência no Parlamento da UE.

Leia também: quarentena expõe crise de violência doméstica no Brasil

De Bolle, ex-chefe da polícia belga, disse que o aumento das atividades pedófilas foi relatado pelas autoridades policiais nacionais dos 27 países da UE que viram um maior acesso a sites ilegais e fecharam mais plataformas online destinadas ao compartilhamento de conteúdo pornográfico infantil.

Segundo a diretora, os investigadores da Europol também interceptaram criminosos alegando que possuem acesso mais fácil a crianças em conversas na dark web, uma parte da internet que é acessível apenas com um software específico.

Os agressores sexuais estão tentando explorar a crescente exposição das crianças à web, pois durante o isolamento elas começam a ter aulas online, às vezes através de plataformas que não são adequadamente protegidas, disse De Bolle.

"Esperamos ter uma visão maior e melhor da situação em que as crianças poderão frequentar a escola novamente e terão a possibilidade de conversar com os professores", disse De Bolle aos parlamentares.

Em muitos países europeus, as escolas ainda estão fechadas para conter a pandemia.

As linhas diretas para denunciar abusos também receberam mais ligações neste período, disse De Bolle. Em março, esses alertas subiram na Espanha a um nível recorde para essa época do ano, mostrou um relatório da Europol.

"Usar a internet para explorar sexualmente crianças hoje é mais fácil do que nunca", disse a ECPAT, uma rede de organizações da sociedade civil contra a exploração sexual comercial de crianças.

Também acrescentou que agora é mais fácil para pedófilos entrarem em contato com crianças e encontrarem criminosos com pensamentos semelhantes", o que também facilita o acesso, o download, a produção e o compartilhamento de material de abuso sexual infantil".