Tecnologia e Ciência iPhone é encontrado funcionando depois de 6 meses no fundo de lago

iPhone é encontrado funcionando depois de 6 meses no fundo de lago

Smartphone foi resgatado por mergulhador há uma profundidade de 2 metros e estava apenas com os alto-falantes danificados

Celular estava há 6 meses no fundo do lago

Celular estava há 6 meses no fundo do lago

Reprodução/YouTube

Os celular são itens frágeis que podem quebrar facilmente ao cair no chão, mas em algumas raras situações os aparelho seguem funcionando mesmo após situações extremas.

Clayton Helkenberg e sua esposa estavam recolhendo objetos que foram parar no fundo do Lago Harrison, localizado na cidade de Chilliwack, no Canadá, quando avistaram um iPhone 11. Assim que voltaram para a superfície, o casal colocou o parelho em um recipiente com sílica, material utilizado para absorver a umidade.

Leia mais: Gorilas são os primeiros animais vacinados contra a covid-19

Quando foi ligado, a bateria do telefone ainda encontrava-se com 96% de carga, mas os alto-falantes estavam danificados. Helkenberg, então, retirou o cartão SIM e colocou em outro aparelho para recuperar alguns contatos e encontrar o dono.

E foi aí que Fatemeh Ghodsi, dona do iPhone, foi notificada. Ela destaca que ficou desconfiada quando recebeu a mensagem informando que o seu celular havia sido encontrado após seis meses e achou que poderia ser uma brincadeira de algum amigo. Assim que se convenceu de que a história era verdadeira, foi de Vancouver até a cidade de Chilliwack recuperar o dispositivo.

“Eu estava em choque total, no começo. Era como se um telefone zumbi voltasse para mim, porque eu estava totalmente certa de que ele estava sumido”, destacou Fatemeh à CBC News.

A jovem moradora de Vancouver revelou que perdeu o equilíbrio e deixou o smartphone cair na água enquanto fazia um passeio de barco com alguns amigos em setembro do ano passado.

Fatemeh destacou também que, na época, a própria equipe do parque informou que não seria possível encontrar o celular naquelas águas profundas.

Ela e os amigos voltaram para Vancouver, e Ghodsi logo comprou outro celular, aceitando que havia perdido fotos, contatos e outros dados que não tinham backup.

*Estagiário do R7 sob supervisão de Pablo Marques

Últimas