Tecnologia e Ciência Musk aposta em direção autônoma neste ano e em robôs em 2023

Musk aposta em direção autônoma neste ano e em robôs em 2023

Bilionário acredita que desenvolverá um sistema mais seguro que o da condução de um carro por uma pessoa até o fim de 2022

Reuters - Tecnologia
Elon Musk, dono da Tesla e da SpaceX

Elon Musk, dono da Tesla e da SpaceX

Elon Musk/Reuters - 13/06/2019

Os produtos mais importantes da Tesla neste ano e no próximo não serão carros, disse o presidente-executivo, Elon Musk, mas softwares que os conduzem de forma autônoma e um robô humanoide que a empresa espera que ajude em suas fábricas.

"Eu ficarei chocado se não alcançarmos a direção autônoma total mais segura do que a humana neste ano. Eu ficarei chocado", disse Musk, prevendo que a direção completamente autônoma se tornará "a fonte mais importante de lucratividade para a Tesla".

"É muito bom do ponto de vista financeiro", disse ele, informando que a aplicação de robotáxi aumenta a utilidade de um veículo em cinco vezes.

A Tesla usa câmeras e inteligência artificial, evitando outras tecnologias como radar e Lidar, que rivais como Waymo estão utilizando.

"Você precisa não apenas ver uma pessoa, você precisa fazê-lo com 99,999999999% de confiabilidade. Mesmo atropelar alguém uma vez não é uma resposta aceitável", disse Austin Russell, presidente-executivo da fabricante de sistemas Lidar Luminar.

Alguns proprietários de carros Tesla compraram pacotes de 12 mil dólares com recursos de direção autônoma na expectativa de que a tecnologia que consegue dispensar totalmente um motorista esteja perto de ser finalizada.

Atualmente, 60 mil motoristas de carros da Tesla estão testando a versão mais recente do software de direção autônoma da companhia, uma escala que outras companhias de software para direção sem motorista apenas sonham em ter.

Philip Koopman, professor da Universidade Carnegie Mellon, que trabalha na segurança de veículos autônomos, disse que um grande problema é que, em escala, casos incomuns podem surgir constantemente.

“Sem um motorista humano para lidar com a segurança em novas situações, quando o aprendizado de máquina ainda não foi ensinado, é muito difícil garantir a segurança em um veículo totalmente automatizado”, disse ele.

Mesmo que a tecnologia funcione, a Tesla passará por uma fiscalização mais rigorosa dos reguladores antes de implantar frotas de robotáxis. Os reguladores de segurança automotiva dos Estados Unidos abriram uma investigação sobre o sistema avançado de assistência ao motorista da Tesla após acidentes que envolveram os carros da marca e veículos de emergência estacionados.

Musk também disse que os engenheiros estão trabalhando para lançar no próximo ano um robô humanoide chamado Optimus, que poderá transportar itens em uma fábrica no curto prazo.

"Em tarefas repetitivas e perigosas, usar um robô humanoide é exatamente a estratégia errada", disse Raj Rajkumar, professor de engenharia elétrica e de computação da Universidade Carnegie Mellon.

Musk, porém, afirmou que o robô poderá ser mais importante que os carros. "Tem potencial para ser mais significativo que o negócio de veículos ao longo do tempo", disse o executivo.

Últimas