Tecnologia e Ciência Rede social Mastodon ganha adeptos como alternativa ao Twitter, comprado por Elon Musk

Rede social Mastodon ganha adeptos como alternativa ao Twitter, comprado por Elon Musk

Rede social descentralizada atingiu 1 milhão de usuários ativos, a maioria deles vindo após o dono da Tesla assumir o controle do Twitter na última semana

Resumindo a Notícia

  • O Mastodon ganhou muitos adeptos após Elon Musk comprar o Twitter
  • A rede social funciona de forma descentralizada e é controlada por usuários
  • Mas ainda tem poucos usuários, ao contrário da rede social do dono da Tesla
  • Plataforma foi fundada por jovem programador alemão, em 2017
Rede social funciona de forma similar ao do Twitter e ganhou adeptos recentemente

Rede social funciona de forma similar ao do Twitter e ganhou adeptos recentemente

REUTERS/Dado Ruvic/Illustration

Com o Twitter em desordem desde que Elon Musk assumiu o controle da rede social na semana passada, o Mastodon, opção aberta e descentralizada da Alemanha, viu a chegada uma enxurrada de novos usuários.

O Mastodon se parece com o Twitter, com hashtags, conversas políticas e memes disputando espaço com fotos de gatos.

Mas enquanto o Twitter e o Facebook são controlados por uma empresa, o Mastodon é instalado em milhares de servidores de computador, em grande parte administrados por voluntários que unem seus sistemas em um arranjo chamado de "federação".

Fruto de seis anos de trabalho do jovem programador alemão Eugen Rochko, o Mastodon nasceu de seu desejo de criar uma esfera pública além do controle de uma única entidade.

"Atingimos 1.028.362 usuários ativos mensais em toda a rede hoje", disse Rochko — a versão de tuítes do Mastodon — na segunda-feira (7). "Isso é bem legal."

Isso ainda é pequeno em comparação com seus rivais maiores. O Twitter relatou 238 milhões de usuários ativos diários. O Facebook revelou que tem 1,98 bilhão de usuários ativos diários.

Mas o salto de usuários do Mastodon em questão de dias ainda é surpreendente. "Entraram mais seguidores no Mastodon na última semana do que nos cinco anos anteriores", escreveu Ethan Zuckerman, especialista em mídia social da Universidade de Massachusetts em Amherst.

Rochko começou o Mastodon em 2017, quando se espalhavam rumores de que o fundador do PayPal e aliado de Musk, Peter Thiel, queria comprar o Twitter.

Fãs de Mastodon dizem que sua abordagem descentralizada o torna diferente: em vez de ir para o serviço fornecido pelo Twitter, cada usuário pode escolher seu próprio provedor ou até mesmo executar sua própria instância do Mastodon, da mesma forma que os usuários podem enviar e-mails do Gmail por uma conta profissional ou de seu próprio servidor.

Nenhuma empresa ou pessoa pode impor sua vontade em todo o sistema ou fechar tudo. Se uma voz extremista surgir com seu próprio servidor, seria fácil para outros servidores cortarem laços com ele, deixando-o falar com seu próprio grupo de seguidores e usuários.

A abordagem federada tem desvantagens: é mais difícil encontrar pessoas para seguir no Mastodon do que na praça ordenada do Twitter e do Facebook administrados centralmente.

Mas seu crescente grupo de apoiadores diz que isso é superado pelas vantagens de sua arquitetura.

O comissário de proteção de dados da Alemanha está fazendo uma campanha para que órgãos governamentais fechem suas páginas no Facebook, alegando que não há como hospedar uma página que não esteja em conformidade com as leis de privacidade europeias.

LEIA ABAIXO: Difamação e suspeita de fraude: relembre as maiores polêmicas da carreira de Elon Musk

Últimas