Brasília Associação aciona comissão contra novo presidente da Petrobras

Associação aciona comissão contra novo presidente da Petrobras

De acordo com associação, Caio Paes de Andrade não cumpre os requisitos: experiência profissional e formação acadêmica

  • Brasília | Plínio Aguiar, do R7, em Brasília

Caio Paes de Andrade, presidente da Petrobras

Caio Paes de Andrade, presidente da Petrobras

Serpro / Divulgação 07-2020

A Associação Nacional dos Petroleiros Acionistas Minoritários da Petrobras acionou, nesta segunda-feira (27), a Comissão de Valores Imobiliários (CVM), autarquia vinculada ao Ministério da Economia, contra a indicação de Caio Paes de Andrade para presidente da estatal.

O Conselho de Administração deu aval à indicação de Andrade para a presidência da Petrobras. Na votação, o executivo teve sete votos favoráveis ao seu nome e três contrários. A expectativa é que o novo comandante da estatal tome posse do cargo nesta semana.

A ilegalidade da capacitação de Andrade, segundo a associação, fere dois requisitos previstos no ordenamento jurídico: experiência profissional e formação acadêmica. "O senhor Andrade não possui notório conhecimento na área, além de ser formado em comunicação social, sem experiência no setor de petróleo e energia", dizem os minoritários na ação.

Na ação, os petroleiros apontam eventuais atos lesivos ao patrimônio da empresa e aos interesses de seus acionistas e argumentam com base na Lei das Estatais. Os minoritários citam o artigo 17, que estabelece que, para assumir a chefia da estatal, o profissional deve ter experiência de dez anos, no setor público ou privado, na área de atuação da empresa pública ou da sociedade de economista mista e ter formação acadêmica compatível com o cargo.

Andrade é formado em comunicação social pela Universidade Paulista, pós-graduado em administração e gestão pela Universidade Harvard e mestre em administração de empresas pela Universidade Duke.

À CVM, a associação pede que seja analisada, mediante processo administrativo, a nomeação de Andrade, que se identifiquem as eventuais irregularidades e que sejam adotadas as medidas, inclusive cautelares, no sentido de obstar a continuidade das ações na estatal.

Caio Paes de Andrade

O Conselho de Administração da Petrobras aprovou nesta segunda-feira (27) a indicação de Caio Mário Paes de Andrade para a presidência da companhia. Na votação, que ocorreu em sessão extraordinária, Paes de Andrade recebeu o aval para comandar a estatal com os votos favoráveis de sete conselheiros. Outros três foram contra a nomeação dele.

Paes de Andrade será o quarto presidente da Petrobras na gestão de Jair Bolsonaro (PL) — sem contar o interino Fernando Borges. Antes dele, comandaram a empresa José Mauro Ferreira Coelho, Joaquim Silva e Luna e Roberto Castello Branco. Todos deixaram o posto por causa de reajustes no preço dos combustíveis.

Bolsonaro critica de forma recorrente a política de preços da Petrobras, que adota o modelo Preço de Paridade Internacional, o que faz com que o preço de gasolina, etanol e diesel acompanhe a variação do valor do barril de petróleo no mercado internacional.

Últimas