Brasília Ato pró-armamento da população reúne manifestantes em Brasília

Ato pró-armamento da população reúne manifestantes em Brasília

No Dia Mundial pelo Desarmamento, cerca de 2 mil pessoas se reuniram para defender a ampliação do acesso a armas por civis

  • Brasília | Do R7, em Brasília

Reprodução / YouTube

Uma manifestação pró-armas reuniu cerca de 2 mil pessoas neste sábado (9), na Esplanada dos Ministérios, em Brasília. O ato, que foi realizado no Dia Mundial pelo Desarmamento, defende o armamento de cidadãos civis. Os manifestantes levavam bandeiras do Brasil e de apoio ao presidente Jair Bolsonaro, pré-candidato a reeleição. A Polícia Militar interditou três faixas da via para a passeata. 

O deputado Eduardo Bolsonaro (PL-SP) discursou no evento. "Não vou ficar chovendo no molhado. Todo mundo sabe da importância da volta das armas", afirmou. Em seu discurso, o deputado fez críticas ao Movimento Sou da Paz, ao Fórum Brasileiro da Segurança Pública e ao Instituto Igarapé, instituições voltadas questões de segurança. 

Quantidade de armas de fogo nas mãos de civis já ultrapassa a utilizada em órgãos públicos

O estoque de 4,4 milhões de armas nas mãos de civis e CACs (caçadores, atiradores desportivos e colecionadores) até 2021 ultrapassa a quantidade de armamentos utilizados nos órgãos públicos, segundo a 16ª edição do Anuário de Segurança Pública, realizado pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública.

Desde 2017, apontam os pesquisadores do fórum, Isabela Figueiredo, Ivan Marques e David Marques, houve uma defasagem "quase irrecuperável" na capacidade de monitoramento e controle na política sobre armamentos. Em 2019, esse gargalo se acentuou.

Dados do Exército mostram que houve um aumento de 333% no número de novos registros de armas para CACs (caçadores, atiradores e colecionadores de armas de fogo) em 2021 em comparação com 2018. O total saiu de 59.439 registros para 257.541. No mesmo período, o número de CACs aumentou 325% – passou de 255.402 registros ativos, em 2018, para 1.085.888, em 2021. Cada colecionador, atirador ou caçador pode ter mais de um registro.

A concessão de registro para CACs é feita pelo Exército por meio do Sigma (Sistema de Gerenciamento Militar de Armas). Outros civis que desejam ter armamento precisam fazer a solicitação à Polícia Federal pelo Sinarm (Sistema Nacional de Armas). Em ambos os casos, é preciso seguir uma série de regras.

O acréscimo expressivo do registro de armas nas mãos da população é um dado que preocupa os policiais. De acordo com o 15º anuário do FBSP (Fórum Brasileiro de Segurança Pública), divulgado no ano passado, somente 10,4% da categorisa é favorável à posse e porte de armas para todos, sem quaisquer limites para a utilização.

Últimas