Brasília Bolsonaro divulga vídeo da primeira cirurgia após facada de 2018

Bolsonaro divulga vídeo da primeira cirurgia após facada de 2018

Imagens mostram o presidente, na época candidato, no hospital; ele disse, na publicação, que não sabia da existência do vídeo

  • Brasília | Plínio Aguiar, do R7, em Brasília

O presidente Jair Bolsonaro

O presidente Jair Bolsonaro

Reprodução

O presidente Jair Bolsonaro compartilhou, nesta segunda-feira (14), um vídeo nas redes sociais onde aparece após a primeira cirurgia pós-facada em Juiz de Fora (MG) durante a campanha eleitoral de 2018. Nas imagens, o chefe do Executivo chegou a comentar que "se preparava para um momento como esse".

"Não me lembrava de ter falado após acordar da 1ª cirurgia na Santa Casa de Juiz de Fora/MG, e nem sabia que esse vídeo existia. Noite do dia 6 ou já madrugada de 7 de setembro de 2018", escreveu o presidente. "Todos nós temos uma missão aqui na terra", complementou.

Nas imagens, é possível ver Bolsonaro na cama do hospital ao lado de aliados, entre eles o ex-senador Magno Malta (PL-ES). O chefe do Executivo, na época candidato pelo PSL, agradeceu aos médicos e enfermeiros que o atenderam no hospital.

"Eu estava muito preocupado porque parecia uma pancada na boca do estômago. Eu já levei bolada no futebol. A dor era insuportável. Parecia que tinha algo mais grave acontecendo. Essa equipe maravilhosa, abençoada. Foi Deus que detectou e evitou que mal ocorresse. Meu muito obrigado aos médicos e enfermeiros, de todo o Brasil", disse.

Em outro momento do vídeo, que tem mais de três minutos, Bolsonaro destaca que "se preparava para um momento como esse". "Adianto a todos que me preparava para um momento como esse, porque você corre riscos. Mas de vez em quando a gente não [inaudível] o ser humano… tão mal assim. Nunca fiz mal a ninguém", afirmou.

Bolsonaro foi esfaqueado na região do abdômen durante ato de campanha em Juiz de Fora no dia 6 de setembro de 2018. O presidente passou por seis cirurgias em consequência da facada que recebeu. Foram quatro em 2018 e duas em 2019 — para retirada da bolsa de colostomia e para correção de uma hérnia na incisão da cirurgia.

No final do ano passado, a Polícia Federal reabriu as investigações sobre o ataque à faca sofrido por Bolsonaro. A corporação quer saber quem financia a defesa do autor da agressão, Adélio Bispo de Oliveira.

Últimas