Brasília Bolsonaro lamenta morte de Olavo: 'Farol para milhões de brasileiros'

Bolsonaro lamenta morte de Olavo: 'Farol para milhões de brasileiros'

Morte do escritor foi confirmada pela família nesta terça-feira (25). Ele era um dos principais influenciadores ideológicos de Bolsonaro

  • Brasília | Hellen Leite, do R7, em Brasília

'Nos deixa hoje um dos maiores pensadores da história do nosso país', diz Bolsonaro

'Nos deixa hoje um dos maiores pensadores da história do nosso país', diz Bolsonaro

Alan Santos/PR

O presidente Jair Bolsonaro lamentou a morte do escritor Olavo de Carvalho. O influenciador e filósofo autodidata morreu nesta segunda-feira (25), aos 74 anos, em um hospital na região de Richmond, na Virgínia, Estados Unidos. 

"Nos deixa hoje um dos maiores pensadores da história do nosso país, o Filósofo e Professor Olavo Luiz Pimentel de Carvalho. Olavo foi um gigante na luta pela liberdade e um farol para milhões de brasileiros. Seu exemplo e seus ensinamentos nos marcarão para sempre. Que Deus o receba na sua infinita bondade e misericórdia, bem como conforte sua família", comentou o presidente nas redes sociais.

Considerado guru ideológico da família Bolsonaro, Olavo teve influência nos primeiros anos do governo, quando alguns de seus seguidores foram elevados ao cargo de ministro de Estado. como os ex-ministros Abraham Weintraub, na Educação, Ernesto Araújo, no Itamaraty, e Ricardo Salles, no Meio Ambiente.

Após a saída dos ministros considerados parte da ala ideológica do governo, e a aproximação de Bolsonaro com o Centrão, Olavo vinha se distanciando do presidente. Em junho de 2020, o escritor publicou um vídeo indicando ter rompido com o governo e ameaçando derrubar o presidente Jair Bolsonaro. "Se as pessoas não conseguem derrubar o seu governo, eu derrubo. Continue inativo, continue covarde, eu derrubo essa m... desse seu governo", disse Olavo no vídeo "adendo à aula 521".

O professor reclamou da falta de apoio do presidente para investigar crimes digitais que teriam sido praticados para atingi-lo. "O gabinete do ódio foi inventado contra mim, não contra o Bolsonaro. Se você não é capaz de me defender dessa gente toda, você não foi meu amigo. Só tira proveito." Em dezembro do ano passado, ele chegou a dizer que só votaria novamente no atual chefe do Executivo "por falta de alternativas".

A causa da morte de Olavo não foi revelada, mas o escritor anunciou ter se infectado pelo novo coronavírus no dia 16. No ano passado, Carvalho teve diversos problemas de saúde, que o levaram a uma série de internações em São Paulo e nos Estados Unidos.

Últimas