Brasília Bolsonaro nomeia diretor-geral da PF para cargo em Madri

Bolsonaro nomeia diretor-geral da PF para cargo em Madri

Márcio Nunes de Oliveira foi escolhido para ser adido policial federal na Embaixada do Brasil por três anos

  • Brasília | Do R7, em Brasília

Atual diretor-geral da Polícia Federal e futuro adido policial federal em Madri, Márcio Nunes de Oliveira

Atual diretor-geral da Polícia Federal e futuro adido policial federal em Madri, Márcio Nunes de Oliveira

Reprodução

O diretor-geral da Polícia Federal, Márcio Nunes de Oliveira, foi nomeado pelo presidente Jair Bolsonaro (PL) para exercer o cargo de adido policial federal na Embaixada Brasileira em Madri, na Espanha. A designação foi publicada nesta terça-feira (20) no Diário Oficial da União.

O chefe da PF vai substituir Delano Cerqueira Bunn na missão diplomática por três anos. A escolha de Bolsonaro foi feita a dez dias do fim do mandato.

Oliveira assumiu o cargo na PF em fevereiro de 2022. Ele já foi secretário-executivo do Ministério da Justiça, o número 2 da pasta comandada por Anderson Torres. É bacharel em direito, com pós-graduação em direito penal e processual penal.

Entrou na Polícia Federal em 2002. Atuou como professor da Academia Nacional de Polícia e foi superintendente da PF no Distrito Federal entre 2018 e abril de 2021. Além disso, foi chefe da Delegacia de Repressão a Entorpecentes da Superintendência da Polícia Federal em Goiás.

Comando da PF

No próximo governo de Luiz Inácio Lula da Silva (PT), o delegado Andrei Rodrigues será o chefe da Polícia Federal, como anunciou o futuro ministro da Justiça, Flávio Dino (PSB). 

Delegado federal há quase 20 anos, Andrei Rodrigues liderou a Secretaria Extraordinária de Grandes Eventos em 2016, no governo Dilma. Na última atribuição, ele estava responsável por comandar a segurança de Lula durante a campanha presidencial. Antes disso, o delegado estava conduzindo a Divisão de Relações Internacionais da Polícia Federal.

Não foi a primeira vez que Rodrigues esteve à frente das ações de proteção a um candidato petista à Presidência. Em 2010, Dilma Rousseff teve Rodrigues como chefe de segurança durante a campanha. O delegado é formado em direito e possui mestrado na área de segurança.

“Nós levamos em conta sobretudo a necessidade de restauração da plena autoridade e da legalidade das polícias e a também a experiência profissional comprovada”, afirmou Dino, que citou a atuação de Rodrigues na Amazônia, área que considera estratégica para o próximo governo.

Últimas