Brasília Bolsonaro visita local de acidente com Porsche em Brasília

Bolsonaro visita local de acidente com Porsche em Brasília

Uma pessoa morreu e duas ficaram gravemente feridas, entre elas um pedestre, após o motorista do carro de luxo perder o controle

  • Brasília | Luiz Calcagno, do R7, em Brasília

Bolsonaro visita local de acidente próximo ao Alvorada

Bolsonaro visita local de acidente próximo ao Alvorada

Edilson Cordeiro/Record TV

O presidente da República, Jair Bolsonaro, deixou o Palácio da Alvorada na manhã deste domingo (26) para visitar o local do acidente com um Porsche próximo à residência oficial, na via que dá acesso ao Palácio do Jaburu. Bolsonaro parou no local e conversou com os presentes antes de voltar para o Alvorada.

Presidente da República vai a local de acidente com carro de luxo

Presidente da República vai a local de acidente com carro de luxo

Edilson Cordeiro/Record TV

O acidente aconteceu no início da manhã e deixou duas pessoas gravemente feridas, uma delas um pedestre atropelado pelo carro de luxo, e um morto. De acordo com os bombeiros, o motorista do veículo, de 37 anos, não resistiu aos ferimentos. Tanto ele quanto a passageira, uma mulher de 22 anos, foram arremessados do carro na capotagem.

Após visitar o local do acidente, Bolsonaro voltou para o Alvorada. Antes, porém, conversou com a imprensa. O presidente falou sobre a ascenção da esquerda na América Latina, e afirmou, dentre outras coisas, que “o serviço mais procurado na Colômbia”, que elegeu o esquerdista Gustavo Petro para presidente, seria a emissão de passaportes.

“A política está polarizada. Sabe qual o serviço mais procurado da Colômbia? Passaporte”, afirmou Bolsonaro. “Temos um caso aqui, lamentável, concreto, que a gente acha que nunca pode acontecer na família da gente. Isso está acontecendo na América do Sul. E a gente tem que se preocupar com isso. Não é me defender não. É falar a verdade. Caso contrário, todos vocês vão pro Granma, o jornal Cubano”, continuou o presidente.

Questionado sobre se ele vê como grave a situação da América do Sul, o presidente respondeu com perguntas. “Onde está a Venezuela? Onde está a situação econômica da Argentina? Está acompanhando a Constituinte Chilena? O que aconteceu da vitória do guerrilheiro do M-19 na Colômbia? O que já vai falando o que vai fazer? Queremos isso para o Brasil? Vai dar certo aqui, essa política?”, disse.

Últimas