Brasília Bolsonaro volta a cancelar ida à Cúpula do Mercosul

Bolsonaro volta a cancelar ida à Cúpula do Mercosul

Ministro das Relações Exteriores, Carlos França, representa o país e cumpre agendas, nesta quarta-feira (20), em Assunção, no Paraguai

  • Brasília | Plínio Aguiar, do R7, em Brasília, com Thiago Nolasco, da Record TV

O presidente Jair Bolsonaro

O presidente Jair Bolsonaro

MARCIO JOSE SANCHEZ/ASSOCIATED PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO

O presidente Jair Bolsonaro voltou a cancelar sua ida à Cúpula do Mercosul, que é realizada em Assunção, no Paraguai, entre os dias 20 e 21 de julho. O chefe do Executivo, porém, deve gravar um vídeo ou participar via videoconferência do evento. O Brasil é representado pelo ministro das Relações Exteriores, Carlos França, que já está na capital paraguaia cumprindo diversas agendas. 

De acordo com a agenda oficial, Bolsonaro se reúne nesta quarta-feira (20), entre 15h e 15h30, com Pedro Cesar Souza, subchefe para assuntos jurídicos da Secretaria-Geral e, entre 16h30 e 17h, com o governador do Paraná, Carlos Ratinho Júnior. Um dos temas que devem ser discutidos é o pleito deste ano.

Fora da agenda oficial, o presidente deve ir, às 20h30, ao jogo do Flamengo contra Juventude, no Estádio Nacional de Brasília Mané Garrincha. Durante conversa com apoiadores, no Palácio do Alvorada, Bolsonaro comentou a partida de futebol. "Hoje às 20h30 pretendo ir ao jogo do Flamengo aqui", disse.

Na quinta-feira (14), Bolsonaro havia dito que não participaria da Cúpula do Mercosul. "Na política, você pode voltar atrás em algumas coisas. Mas a minha decisão até o momento é de não ir ao Mercosul", afirmou o presidente na ocasião. No entanto, durante o fim de semana ele voltou atrás e destacou que ainda não tinha batido o martelo e vinha sendo orientado a ir à Cúpula.

O chefe do Itamaraty já está em Assunção. Pela manhã, ele participou de reunião ordinária do Conselho do Mercado Comum do Mercosul e sessão dos estados membros e, depois, de um almoço oferecido pelo chefe da diplomacia paraguaia. À tarde, participará de outra reunião e de encontro com ministro de Relações Exteriores da Bolívia, Rogelio Mayta Mayta.

Está prevista a assinatura, durante a Cúpula, de acordo para combater o feminicídio. Em nota, o ministério afirmou que "trata-se da primeira reunião presencial dos líderes do bloco desde o início da pandemia" e os encontros "marcam o encerramento da presidência de turno do Paraguai e o início da presidência do Uruguai".

"Durante a presidência paraguaia do Mercosul, os temas de saúde e recuperação pós-pandemia continuaram a receber atenção especial. Na vertente econômica, os trabalhos concentraram-se em temas como Tarifa Externa Comum, regime de origem, comércio de serviços, setores açucareiro e automotivo, agenda digital e regulamentos técnicos", diz comunicado.

Estava prevista uma agenda de Bolsonaro na Baixada Fluminense, no Rio de Janeiro, nesta sexta-feira (22), mas foi cancelada. O chefe do Executivo deve participar também de uma marcha evangélica no sábado (23) no Espírito Santo e, no domingo (24), vai ao Rio de Janeiro para o lançamento de sua candidatura à reeleição no Maracanãzinho.

Últimas