Brasília BRB tem lucro líquido de R$ 192 milhões no 3º trimestre de 2021

BRB tem lucro líquido de R$ 192 milhões no 3º trimestre de 2021

O banco registrou crescimento de 68,3% em relação ao mesmo período de 2020. Ao longo do ano, foram R$ 433 milhões de lucro

  • Brasília | Hellen Leite, do R7, em Brasília

Paulo Henrique Costa, presidente do BRB, destaca que banco atingiu 3 milhões de clientes

Paulo Henrique Costa, presidente do BRB, destaca que banco atingiu 3 milhões de clientes

Lúcio Bernardo Jr./Agência Brasília

O Banco de Brasília (BRB) alcançou lucro líquido de R$ 192 milhões no terceiro trimestre de 2021, um crescimento de 68,3% na comparação com julho, agosto e setembro de 2020. O resultado referente aos nove meses foi de R$ 433 milhões, um incremento de 38,1% em relação ao mesmo período do ano anterior. O balanço com os dados atualizados do banco foi divulgado nesta quarta-feira (17).

Segundo o BRB, o desempenho é resultado do aumento da quantidade de negócios, expansão da carteira de crédito, ampliação da margem financeira, maior relacionamento com os clientes e melhora na eficiência operacional.

“Mesmo em um contexto adverso, conseguimos manter as margens de rentabilidade do banco e observamos um retorno sobre o patrimônio de 26,2%, um dos melhores do mercado. Isso sem deixar de lado nosso papel social na execução dos programas governamentais do GDF”, afirma o presidente do BRB, Paulo Henrique Costa, que ainda destaca que o terceiro trimestre de 2021 foi marcado pela retomada gradual da economia, pós-pandemia, em um cenário desafiador para a instituição.

Considerando o Nação BRB FLA, o banco digital com parceria estratégica com o Flamengo, a base do BRB atingiu, até setembro, a marca de 3 milhões de clientes, somados os segmentos de pessoa física (PF) e pessoa jurídica (PJ). O crescimento é de 306% em relação ao ano passado. À época, o BRB possuía 738 mil clientes.

Carteira de crédito

De acordo com o balanço, a carteira de crédito ampla chegou a R$ 20,7 bilhões e apresentou crescimento de 42,1% em 12 meses e de 10,7% no terceiro trimestre. Os destaques no terceiro trimestre foram no crédito imobiliário, no financiamento à pessoa jurídica, no crédito rural e no crédito consignado.

Principal carteira de crédito do BRB, o consignado apresentou crescimento de 24,2% em 12 meses, atingindo saldo de R$ 9,7 bilhões. No terceiro trimestre, o aumento foi de 7,2%.
No financiamento imobiliário, o BRB manteve a posição de líder do mercado no Distrito Federal e, nacionalmente, ocupa a sexta posição do ranking. A carteira atingiu R$ 4,1 bilhões, o que representa 128,6% de crescimento em 12 meses e 18,5% de aumento na comparação com o segundo trimestre do ano.

Inadimplência

A inadimplência encerrou o terceiro trimestre de 2021 em 1,64%, ante 1,56% em setembro de 2020. Mesmo assim, permanece abaixo da média de mercado, de 2,29%.
Como reflexo da pandemia da Covid-19, a carteira prorrogada totaliza R$ 1,7 bilhão, representando uma queda de 5,9% em relação ao trimestre imediatamente anterior.

A carteira prorrogada apresentou no terceiro trimestre uma inadimplência de 1,5%.
As receitas com prestação de serviços e tarifas atingiram R$ 162 milhões no terceiro trimestre, um crescimento de 24,8% quando comparadas ao terceiro trimestre de 2020. Ao longo do ano, essas receitas já atingiram R$ 446 milhões, crescimento de 12,3% em relação ao mesmo período de 2020.

As receitas com cartão de crédito tiveram, no terceiro trimestre, crescimento de 20,9%, totalizando R$ 21,7 milhões. Em nove meses, as receitas de cartão foram de R$ 56,9 milhões, incremento de 42,2% na comparação com o mesmo período do ano passado.

Últimas