Brasília CNJ analisa na próxima semana caso de juiz suspeito de agredir a esposa

CNJ analisa na próxima semana caso de juiz suspeito de agredir a esposa

Caso é apurado pela Corregedoria Nacional de Justiça e será levado ao plenário na próxima sessão, em 11 de abril

  • Brasília | Carlos Eduardo Bafutto, do R7, em Brasília

Caso de juiz suspeito de cometer violência contra a esposa é acompanhado pelo CNJ

Caso de juiz suspeito de cometer violência contra a esposa é acompanhado pelo CNJ

Reprodução/Arquivo Agência Brasil

Conselho Nacional de Justiça (CNJ) informou que vai analisar no próximo dia 11 o caso envolvendo o juiz Valmir Maurici Júnior — suspeito de cometer violências física, sexual e psicológica contra a esposa. O caso está sendo apurado pela Corregedoria Nacional de Justiça. 

As agressões teriam acontecido na residência do casal, em Caraguatatuba, no litoral de São Paulo. O juiz foi filmado agredindo a mulher com socos. A suspeita é de que ele a teria violentado durante o período em que ficaram juntos.

A Corregedoria afirma que está analisando a regularidade e suficiência das medidas protetivas em favor da vítima e aguarda o prazo de defesa do juiz. 

Fora de exercício

Valmir Maurici Júnior é juiz na 5ª Vara Cível de Guarulhos, região metropolitana de São Paulo. De acordo com a corregedoria do TJ-SP (Tribunal de Justiça de São Paulo), o magistrado não se encontra no exercício da jurisdição.

O CNJ informa que o caso vem sendo conduzido de acordo com a resolução do conselho que estabeleceu a Política Judiciária Nacional de Enfrentamento à Violência contra a Mulher. 

O Ministro Luis Felipe Salomão determinou "atenção prioritária" às denúncias envolvendo fatos que repercutem na esfera criminal, com mapeamento e fiscalização dos inquéritos policiais e ações penais contra magistrados, em trâmite em todo o território nacional.

Segundo a nota divulgada, além de acompanhar o inquérito policial em curso no TJ-SP e do procedimento administrativo-investigativo que tramita na Corregedoria-Geral de Justiça do estado, a Corregedoria Nacional também instaurou Reclamação Disciplinar para apuração dos fatos.

Últimas