Brasília Depois de Salvador, Brasília avalia cancelar festa de Réveillon

Depois de Salvador, Brasília avalia cancelar festa de Réveillon

Na semana passada, antes da confirmação da nova variante, governo local tinha confirmado realização do evento na Esplanada

  • Brasília | Jéssica Moura, do R7, em Brasília

Festa prevista para a virada do ano pode ser cancelada

Festa prevista para a virada do ano pode ser cancelada

Tony Winston/Agência Brasília


A identificação da nova variante do coronavírus Ômicron ameaça os cronogramas de flexibilização de medidas restritivas no país. Depois de o prefeito de Salvador, Bruno Reis, anunciar nesta segunda-feira (29) o cancelamento das festas de Ano-Novo previstas na cidade, o Distrito Federal pode seguir o mesmo caminho.

O secretário de Cultura, Bartolomeu Rodrigues, afirmou ao R7 que o governo considera a possibilidade e que ainda nesta semana terá uma definição sobre como ficará a realização do Réveillon no Distrito Federal diante da identificação da nova cepa. "Estamos avaliando. Nesta semana vamos definir", declarou.

A notificação da Ômicron vem uma semana depois da confirmação das festas de Ano-Novo pelo governador Ibaneis Rocha (MDB). A programação do GDF previa a instalação do tradicional palco com apresentações musicais na Esplanada dos Ministérios, além da abertura de um edital para a promoção do evento em pelo menos cinco regiões administrativas.

No ano passado, a festa da Virada do Ano foi cancelada em razão da pandemia da Covid-19. A realização do Carnaval ainda está em estudo e, de acordo com o governador, dependeria da ampliação da cobertura vacinal para ocorrer. Até esta segunda, 76,07% da população com idade a partir de 12 anos estava com o esquema vacinal completo.

Nova cepa

Por ora o Brasil não registra casos de infecção pela variante. Em São Paulo, na quinta-feira passada, um brasileiro testou positivo para a Covid-19 depois de chegar em um voo oriundo da África do Sul . No entanto, ainda não se sabe se ele foi infectado pela nova cepa. O paciente é vacinado contra o coronavírus e está em isolamento, segundo a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária).

A Organização Mundial da Saúde (OMS), que já havia classificado a Ômicron como variante de preocupação em razão das dezenas de mutações genéticas, emitiu alerta nesta segunda-feira de que a cepa representa um risco global muito alto de nova onda de surtos. Isso porque a variante teria grande capacidade de escapar à proteção conferida pelas vacinas dadas as vantagens genéticas obtidas por ela, que a teriam tornado mais transmissível.

A Secretaria de Saúde do Distrito Federal informa que não investiga nenhum caso suspeito de contágio pela variante Ômicron (B.1.1.529) no DF.

Últimas