Brasília DF libera 4ª dose de vacina contra a Covid para quem tem mais de 60

DF libera 4ª dose de vacina contra a Covid para quem tem mais de 60

O anúncio foi feito pelo secretário de Saúde, Manoel Pafiadache, que também pediu apoio da população no combate à dengue

  • Brasília | Luiz Calcagno, do R7, em Brasília

Funcionária vacina idoso contra a Covid-19

Funcionária vacina idoso contra a Covid-19

Marcelo Camargo/Agência Brasil - Arquivo

A partir desta sexta-feira (6), quem tem mais de 60 anos pode receber a 4ª dose da vacina contra a Covid-19 no Distrito Federal. O secretário de Saúde da capital, Manoel Pafiadache, fez o anúncio em coletiva de imprensa nesta quinta-feira (5) e destacou que o intervalo entre a 3ª e a 4ª doses é de quatro meses.

Até então, o reforço na imunização estava à disposição apenas da população com mais de 70. Dessa faixa etária, que tem 130 mil pessoas na capital, 48,71 mil se vacinaram — menos da metade. O secretário também disse que a capital tem índices baixos de contaminação e que qualquer pequena alteração influencia na taxa de transmissão.

Questionado sobre a possibilidade de subnotificação por conta dos testes rápidos de farmácia, Pafiadache argumentou que, quando o autoteste dá positivo, normalmente, o paciente procura um médico e, consequentemente, entra no controle do sus.

Segundo dados da pasta, 90,12% da população acima de 5 anos já iniciou o esquema de vacinação, e outros 83,66% tomaram as duas doses. Além disso, cerca de 900 mil pessoas já podem procurar os postos para tomar a terceira dose.

Epidemia de dengue

Outro tema abordado durante a coletiva de imprensa da Saúde foi a epidemia de dengue no Brasil, que atinge, principalmente, a região Centro-Oeste. De acordo com o secretário-adjunto de Assistência à Saúde, Pedro Zancanaro, a secretaria já registra aumento de pacientes nas emergências dos hospitais, mas o pior momento ainda está por vir. "Será entre a primeira e a segunda quinzena de maio", alertou.

A orientação é que, quem sentir mal-estar, procure as unidades básicas de saúde e, quem tiver também manchas roxas, alteração visual e de consciência, procure um hospital. Outro alerta importante é que a maioria dos focos do mosquito Aedes aegypti está em áreas residenciais.

Mosquito Aedes aegypti

Mosquito Aedes aegypti

Pixabay - Arquivo

"Cerca de 97% dos focos de dengue estão nas residências. O restante está em área pública. Solicitamos o apoio da população para revisar quintais, potes de flores, pois a gente sabe a dificuldade que é para o cidadão que está com dengue. É um apelo à população para ajudar o setor público", afirmou o secretário.

Últimas