Brasília DF tem ocupação de 100% das UTIs pediátricas para Covid-19

DF tem ocupação de 100% das UTIs pediátricas para Covid-19

Número inclui redes pública e privada; restam 41 vagas para adultos em hospitais privados e dois leitos neonatais nos públicos

  • Brasília | Jéssica Moura, do R7, em Brasília

Leito de UTI para Covid-19 no DF

Leito de UTI para Covid-19 no DF

Breno Esaki/Agência Saúde

Todos os leitos de UTI destinados à internação de crianças e jovens com sintomas graves da Covid-19 estão ocupados no Distrito Federal. Na manhã desta terça-feira (1º), a lotação era de 100% nas unidades dos hospitais públicos e privados.

Para os adultos, assim como ocorreu nesta segunda (31), não há  leitos disponíveis nos hospitais públicos. Na rede particular, a taxa de ocupação era de 68,94% nesta manhã, com 41 vagas de um total de 133 leitos. 

Os dados constam do painel Infosaúde e mostram que nos hospitais públicos a taxa de ocupação geral estava em 97,85% às 6h25, restando duas vagas em leitos neonatais. O HRSam (Hospital Regional de Samambaia) concentra a maior parte dos internados, com 27 pacientes.

Ao todo, 99 leitos foram mobilizados para pacientes com coronavírus, dos quais 91 estão ocupados e seis estão bloqueados. Na fila de espera há 29 pessoas com suspeita ou diagnóstico de Covid-19. A alta na demanda por leitos também é observada nas enfermarias, onde 83,2% das vagas estão ocupadas.

Alta na demanda

A demanda pelo serviço de saúde é crescente diante do aumento das infecções no DF. Nesta segunda, foram computados 11.508 novos casos de Covid-19, dado que representa o acumulado de sexta a domingo. Com isso, o total de casos ativos da doença chegou a 50.657 na capital federal.

O boletim da Secretaria de Saúde mostra que dez mortes foram computadas no período. A taxa de reprodução do vírus, apesar de ainda estar acima de 1, tem registrado queda e chegou a 1,28 nesta segunda. O governo do DF descartou a implementação de medidas de restrição à circulação de pessoas, como o lockdown.

Aulas presenciais

Nesta segunda, as escolas particulares deram início ao ano letivo com atividades presenciais. No caso das escolas públicas, a retomada está marcada para 14 de fevereiro. Não será exigido comprovante de vacinação contra a Covid-19 para que esses estudantes frequentem as aulas in loco.

Últimas