Brasília Exoneração do ministro da Educação é publicada no Diário Oficial da União

Exoneração do ministro da Educação é publicada no Diário Oficial da União

Ato assinado pelo presidente Jair Bolsonaro foi publicado em edição extra do Diário Oficial da União desta segunda-feira (28)

  • Brasília | Augusto Fernandes, do R7, em Brasília

Milton Ribeiro, agora ex-ministro da Educação

Milton Ribeiro, agora ex-ministro da Educação

Luis Fortes/MEC - 25.11.2021

O ministro da Educação, Milton Ribeiro, foi oficialmente exonerado do posto nesta segunda-feira (28). Decreto publicado em edição extra do Diário Oficial da União, assinado pelo presidente Jair Bolsonaro, confirmou a demissão de Ribeiro.

De acordo com o ato, a saída aconteceu a pedido do ministro. No lugar de Ribeiro, assumirá o atual secretário-executivo do MEC, Victor Godoy Veiga. A tendência é que ele fique à frente do ministério até o fim do ano.

Ribeiro deixa o MEC em meio às denúncias de um suposto esquema de tráfico de influência na pasta. Segundo acusações feitas por prefeitos, o agora ex-ministro teria permitido que dois pastores que não têm cargo público, Arilton Moura Correia e Gilmar Silva dos Santos, pedissem propina em troca da liberação de recursos do ministério aos municípios.

Por conta disso, a Polícia Federal abriu um inquérito para apurar as denúncias. A corporação vai investigar se os religiosos influenciaram o envio de verba para municípios em troca de propina, se o ex-ministro da Educação sabia das irregularidades e se colaborou com elas.

Nesta segunda, Ribeiro teve uma reunião com Bolsonaro no Palácio do Planalto para acertar a saída do MEC. Ele entregou uma carta de demissão ao presidente. No documento, Ribeiro explicou que quer se concentrar na sua defesa e não interferir na investigação policial.

"Tomo esta iniciativa com o coração partido. Prezo pela verdade e sei que a verdade requer tempo para ser alcançada. Sei de minha responsabilidade política, que muito se difere da jurídica. Minha decisão decorre exclusivamente de meu senso de responsabilidade política e patriotismo, maior que quaisquer sentimentos pessoais", escreveu.

Últimas