Brasília Governador do DF diz que reforma tributária 'não está pronta' para ser votada no Senado

Governador do DF diz que reforma tributária 'não está pronta' para ser votada no Senado

Ibaneis Rocha afirmou que o governo está em constante diálogo com senadores para garantir o 'menor impacto possível nas contas'

  • Brasília | Edis Henrique Peres, do R7, Brasília

Ibaneis defendeu o DF como polo logístico do Brasil

Ibaneis defendeu o DF como polo logístico do Brasil

Renato Alves/Agência Brasília - 29.9.2023

O governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha, afirmou na manhã desta sexta-feira (29) que a reforma tributária ainda "não está pronta" para ser votada no Senado Federal. A declaração foi dada durante o Fórum de Governadores do Consórcio Brasil Central, em Rio Quente (GO). Ibaneis disse que o governo está em constante diálogo com senadores para garantir o “menor impacto possível nas contas” e citou diferenças nas realidades do DF e dos demais estados do Centro-Oeste.

“Nós temos um público consumidor, mais ligado ao serviço e com alto poder de compra. E temos a expectativa de aumento na arrecadação. Não existe uma reforma que vai beneficiar um estado e prejudicar os demais. Temos que estar unidos neste sentido e é assim que estamos trabalhando no DF”, declarou.

Compartilhe esta notícia no WhatsApp
Compartilhe esta notícia no Telegram

Ibaneis defendeu a necessidade de um debate amplo sobre a reforma tributária e afirmou que os desafios estão unindo governadores na busca por uma legislação que “traga benefícios a toda sociedade”. “Ninguém ganha quando um dos nossos companheiros perde. E temos sido muito parceiros com as preocupações da discussão no Senado, dessa reforma que depende o futuro do Brasil”, afirmou.

O chefe do Executivo distrital também citou a importância da parceria entre os estados em temas de Segurança Pública e Saúde. “A criminalidade não respeita fronteiras e avança com suas facções em todos os estados. Precisamos nos unir contra essa criminalidade que vem assolando famílias. Essas são pautas importantes para o Consórcio Brasil Central”, defendeu.

Outro tema levantado foi a importância da manutenção do Fundo Constitucional para o DF. “O grande desafio hoje é exatamente essa consolidação no sentido de ser uma pujança, mas limitada ao seu território doado por Goiás. Mas o território é pequeno, e nós temos pouca capacidade de áreas de desenvolvimento. Por isso a necessidade da manutenção do Fundo Constitucional, que nos sustenta”, afirmou Ibaneis.

Centro logístico

Durante o evento, o governador defendeu que Brasília tem características fundamentais para ser um ponto central que liga o país, e que o DF avançou muito como polo logístico. “O Distrito Federal foi criado pelo nosso querido Juscelino Kubitschek como o ponto de união do Brasil”, disse. E acrescentou que foram feitas melhorias nas conexões das malhas aérea e rodoviária da capital do país.

“Tivemos a redução do querosene de aviação, propiciando diversos novos voos nacionais e internacionais para o DF. Temos que encontrar cada vez mais uma característica de empregabilidade para uma população que cresce a todo momento”,  apontou, listando a ligação da capital federal com diversas regiões de Goiás e Minas Gerais, na chamada Região Integrada de Desenvolvimento do Distrito Federal e Entorno (Ride).

Entenda

O Consórcio Brasil Central foi criado em 2015 com o objetivo de estimular o desenvolvimento dos estados participantes, que juntos acumulam 2,5 milhões de metros quadrados de território e 875 municípios. O evento contou com a presença dos governadores Ronaldo Caiado, de Goiás; Carlos Brandão, do Maranhão; Eduardo Riedel, de Mato Grosso do Sul; e Wanderlei Barbosa, de Tocantins; além do presidente do consórcio Mauro Mendes, de Mato Grosso.

Pelo DF, participaram o secretário executivo do Consórcio Brasil Central, José Eduardo Pereira Filho; os secretários de Planejamento, Orçamento e Administração, Ney Ferraz, e de Governo, José Humberto Pires de Araújo, além do presidente do Banco de Brasília, Paulo Henrique Costa.

Últimas