Brasília Governadores do Nordeste cobram urgência na compra da CoronaVac 

Governadores do Nordeste cobram urgência na compra da CoronaVac 

Em ofício enviado ao Ministério da Saúde, Consórcio Nordeste pede celeridade na aquisição das vacinas para crianças e adolescentes

  • Brasília | Carlos Eduardo Bafutto, do R7, em Brasília

Ampolas da vacina CoronaVac

Ampolas da vacina CoronaVac

Instituto Butantan/Divulgação

O presidente do Consórcio Nordeste, o governador de Pernambuco, Paulo Câmara, enviou nesta quinta-feira (20) um ofício ao ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, solicitando urgência na compra da vacina CoronaVac para crianças e adolescentes. 

Paulo Câmara argumentou no texto do documento enviado a Queiroga que a medida deve ser tomada em caráter de absoluta urgência e citou o "momento de severo agravamento do número de casos em decorrência da variante Ômicron".

As áreas técnicas da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) apresentaram, nesta quinta-feira (20), análises favoráveis ao uso da CoronaVac no público infantil. De acordo com a Gerência-Geral de Medicamentos e Produtos Biológicos (GGMED) e a Gerência de Farmacovigilância (GFARM), a aplicação da vacina em crianças é benéfica e segura.

A SBP (Sociedade Brasileira de Pediatria), em análise conjunta com a SBIm (Sociedade Brasileira de Imunizações) e a SBI (Sociedade Brasileira de Infectologia), apoiou a autorização e extensão do uso da vacina CoronaVac em crianças de 6 a 17 anos. "A futura ampliação do uso da vacina para as crianças menores de 6 anos fica condicionada à análise de dados para esse grupo etário, assim que eles estiverem disponíveis", avaliou.

Vacinação em São Paulo

O estado de São Paulo vacinou nesta quinta-feira (20) a primeira criança com o imunizante CoronaVac, aprovado pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) na manhã de hoje para o público infantojuvenil. A perspectiva do governo do estado é vacinar todas as crianças paulistas com o imunizante em um período de três semanas.

Segundo o governador João Doria (PSDB), o Instituto Butantan vai atender à demanda integral do governo de São Paulo para vacinar todas as crianças no estado, além de disponibilizar as doses remanescentes para o Ministério da Saúde.

Caso o governo federal não as aceite, prosseguiu Doria, elas serão disponibilizadas para os estados interessados.

Veja a íntegra do ofício enviado ao ministro Queiroga

"Prezado Ministro

É incontornável a urgência de completarmos a vacinação de crianças e adolescentes no Brasil. Neste momento de severo agravamento do número de casos em decorrência da variante Ômicron, considerando a aprovação pela ANVISA – Agência Nacional de Vigilância Sanitária –, nesta quinta-feira 20 de janeiro, de uso da vacina Coronavac contra a covid-19 para crianças e adolescentes de 6 a 17 anos, em nome dos governadores dos nove estados do Nordeste, peço que o Ministério da Saúde realize compra das referidas vacinas já disponíveis no Instituto Butantan e proceda a distribuição entre os Estados conforme o Plano Nacional de Imunização. Tal medida deve ser tomada em caráter de absoluta urgência, algo absolutamente compatível com as atribuições deste Ministério. Fazemos tal pedido como decorrência do compromisso na busca de soluções para a erradicação de tão terrível pandemia. Nessa condição e certo de vossa compreensão, colocamo-nos inteiramente à disposição para a realização de eventuais reuniões ou esclarecimentos."

O R7 entrou em contato com o Ministério da Saúde para pedir um posicionamento quanto ao ofício mas não recebeu resposta até a última atualização desta reportagem.

Últimas