Brasília Justiça nega liminar para reativar conta de ex-mendigo no Instagram

Justiça nega liminar para reativar conta de ex-mendigo no Instagram

Perfil tinha 477 mil seguidores; juíza disse que o 'uso das mídias sociais deve observar as normas de conduta da plataforma digital'

  • Brasília | Emerson Fonseca Fraga, do R7, em Brasília

Givaldo, que virou influenciador digital, anda de helicóptero

Givaldo, que virou influenciador digital, anda de helicóptero

Instagram/Reprodução - Arquivo

A Justiça de São Paulo negou nesta quinta-feira (28) o pedido de liminar para que a conta no Instagram do ex-morador de rua Givaldo Alves de Souza, de 48 anos, fosse reativada. O perfil tem 477 mil seguidores. Ele entrou com ação em que pede a restituição do acesso e R$ 6.000 por danos morais à empresa por ter desativado sua conta na rede social.

De acordo com a juíza Mônica Soares Machado, "o direito de acesso e uso das mídias sociais deve observar as normas de conduta da plataforma digital".

O homem ficou conhecido após ter sido agredido por Eduardo Alves, personal trainer, que flagrou a mulher fazendo sexo dentro de um carro com Givaldo. Segundo laudo obtido pelo R7, ela estava em surto psicótico.

A conta era usada para postar fotos e vídeos da nova vida de Givaldo, que agora trabalha como influenciador digital e ganhou o apelido de "mendigo do amor" na internet. "Cabeças vão rolar. Aguardem. Já que derrubaram minha conta lá no vizinho [Instagram], vou tirar uma folga até voltar", postou Givaldo no TikTok, página que tem mais de 727 mil seguidores e 3,7 milhões de curtidas, quando sua conta foi desativada.

"Podem tentar, mas a gente que viveu nas ruas aprende que cada dia é dia. Força e coragem a todos os que torcem por mim", completou Givaldo, sem explicar o motivo de ter tido o perfil no Instagram bloqueado.

A página @givaldoalves_brasil ainda aparece nas buscas do Google, mas desapareceu do Instagram. O R7 entrou em contato com a assessoria de imprensa da rede social para saber o motivo de a conta ter sido derrubada, mas a rede social respondeu que não vai comentar o caso.

Fãs do ex-morador de rua especulam que a derrubada do perfil tenha a ver com a briga entre Givaldo e a advogada Deolane Ribeiro, viúva de MC Kevin. Antes de ter o perfil excluído da rede, o ex-mendigo e a influenciadora trocaram farpas nas redes sociais em uma briga que envolveu até a polícia.

Tudo começou quando Deolane criticou duramente Givaldo por ter obtido fama após um episódio trágico e disse que tinha "ranço" de o ver na internet. "Eu vou falar uma coisa para vocês, eu estou com um ranço de entrar na internet e ver esse 'mendigo'. Que Deus me perdoe, senhor, e ainda esse monte de mulher dando atenção para esse cara nojento", disse.

Em resposta, Givaldo acionou a polícia. "Já que a doutora Deolane disse que está aguardando a intimação, pronto, a Justiça já intimou. E agora ela terá que responder", afirmou ele.

Givaldo foi alçado ao status de celebridade desde que protagonizou o episódio que levou a empresária de 33 anos a uma internação em uma ala psiquiátrica. Ele disse à Record TV que é grato pela mudança de vida após o caso em que acabou agredido pelo personal, em março deste ano. No entanto, ele afirma que se arrepende do que aconteceu, sobretudo devido ao estado de saúde da mulher.

Com o retorno obtido depois da exposição do fato, Givaldo saiu da situação de rua e atualmente mora em um hotel de luxo em Brasília, apesar de estar sob investigação. Ele acumula milhares de seguidores nas redes sociais e é visto em diversas festas pelo país, como no Carnaval do Rio de Janeiro.

Últimas