Brasília Moraes autoriza PF a devolver celulares de Ibaneis e Valdemar Costa Neto

Moraes autoriza PF a devolver celulares de Ibaneis e Valdemar Costa Neto

Aparelhos do governador afastado do DF e do presidente nacional do PL foram apreendidos para as investigações sobre os atos de 8/1

  • Brasília | Augusto Fernandes, do R7, em Brasília

Alexandre de Moraes, ministro do Supremo Tribunal Federal

Alexandre de Moraes, ministro do Supremo Tribunal Federal

Fellipe Sampaio/SCO/STF - 1.2.2023

O ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), autorizou nesta quinta-feira (9) que a Polícia Federal devolva os celulares do governador afastado do Distrito Federal, Ibaneis Rocha (MDB), e do presidente nacional do PL, Valdemar Costa Neto.

Os dois tiveram os equipamentos apreendidos depois de prestarem depoimento à PF no inquérito que apura os atos de 8 de janeiro em Brasília, quando os prédios do Palácio do Planalto, do Congresso Nacional e do Supremo Tribunal Federal (STF) foram invadidos e depredados por manifestantes extreminas que não aceitam o resultado das eleições do ano passado.

A Polícia Federal pediu a Moraes autorização para devolver os celulares "por já ter realizado a extração dos dados e não mais existir interesse probatório em sua manutenção" nos autos da investigação.

Ibaneis Rocha, governador afastado do Distrito Federal

Ibaneis Rocha, governador afastado do Distrito Federal

DIDA SAMPAIO/ESTADÃO CONTEÚDO-28/09/2018

Ibaneis tinha entregado o aparelho de forma voluntária à corporação após ter a casa e o escritório alvos de busca e apreensão por parte da PF. Policiais também estiveram no Palácio do Buriti, sede do Governo do Distrito Federal, em janeiro.

Valdemar Costa Neto, presidente nacional do PL

Valdemar Costa Neto, presidente nacional do PL

Valter Campanato/ Agência Brasil

Valdemar deixou o celular com a Polícia Federal depois de prestar depoimento na semana passada. Ele foi interrogado após afirmar que teve acesso à minuta de um decreto que previa um golpe de Estado para mudar o resultado das eleições presidenciais de 2022 e impedir a posse de Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

Últimas