Brasília Polícia descarta que sargento tenha sido vítima de latrocínio

Polícia descarta que sargento tenha sido vítima de latrocínio

Corpo do sargento Helder Tavares foi encontrado ao lado de uma moto, na DF-180, e estava com ferimentos no rosto

  • Brasília | Hellen Leite, do R7, e Elijonas Maia, da Record TV

Sargento da Polícia Militar Helder Tavares Silva foi encontrado morto na DF-180

Sargento da Polícia Militar Helder Tavares Silva foi encontrado morto na DF-180

PMDF/Divulgação

A morte do sargento da Polícia Militar Helder Tavares Silva, de 51 anos, segue cercada de mistérios. A Polícia Civil do Distrito Federal descartou, na noite de quinta-feira (16), que ele tenha sido vítima de latrocínio.

A investigação vai esperar o laudo cadavérico elaborado pelo IML (Instituto de Medicina Legal) para saber se o militar aposentado foi vítima de homicídio ou acidente de trânsito. O documento sai em até 30 dias.

O corpo de Tavares foi encontrado com marcas no rosto, na manhã de quarta-feira (15), na rodovia DF-180, próximo ao aterro sanitário em Samambaia Norte (DF). Ele estaria voltando de uma chácara, em Corumbá de Goiás, e seguia em direção a  Ceilândia, onde vivia com a família. O militar era aposentado, mas fazia bicos como vigilante.

Os agentes do CBMDF (Corpo de Bombeiros Militar do Distrito Federal) que atenderam a ocorrência informaram que ele já estava sem sinais vitais, ao lado do armamento e da motocicleta no canteiro central. Testemunhas contaram ainda que a arma do sargento não estava com a munição completa.

O crime foi inicialmente registrado como homicídio, mas a Polícia Civil também levantou a possibilidade de latrocínio e acidente de trânsito. O caso é investigado pela 26ª Delegacia de Polícia (Samambaia Norte).

Últimas